PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sexta-Feira, 24 de Maio de 2019, 16h:08
Tamanho do texto A - A+
AGRONEGÓCIO
IMPLANTAÇÃO Twitter

Empaer visita aldeia Meruri para implantação do projeto de fruticultura

Por: Redação

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) realizou uma visita técnica na aldeia Meruri, comunidade que abriga indígenas Bororos em General Carneiro (715 km ao Norte de Cuiabá), para implantação de um projeto de cultivo de frutas. A visita foi solicitada pelo cacique José Mário Kugarubo, que pretende utilizar uma área de 10 hectares para plantar frutas como banana, abacaxi, mamão, entre outras. A visita contou com apoio dos representantes da Missão Salesiana de Mato Grosso que atuam na comunidade indígena.

 

O cacique Kugarubo quer iniciar o cultivo com a finalidade de produzir alimentos para subsistência e também como uma fonte de renda para a comunidade indígena. A intenção é buscar parcerias para aquisição de mudas de frutíferas e também produzir na aldeia as mudas que serão cultivadas pelos índios. A aldeia possui 657 habitantes que cultivam mandioca e trabalham com a criação de peixes. “Precisamos diversificar para garantir alimentos e renda para a aldeia”, explica o cacique.

 

O cultivo de frutíferas será realizado na aldeia principal e nas cinco pequenas aldeias adjacentes, que vão plantar numa área de um hectare, totalizando 15 hectares. O técnico agropecuário  da Empaer,João marcos Alves Ribeiro, comenta que a principal fonte de alimentação da comunidade indígena é a mandioca, cultivada em uma área de seis hectares. Ele esclarece que a fruticultura pode ser uma fonte de renda e alimentação para a aldeia.

 

De acordo com João, técnicos da Empaer trabalham com a comunidade indígena prestando serviços de assistência técnica e extensão rural. “Hoje na aldeia principal são cultivados mandioca e uma pequena área com plantio de banana da terra. Fizemos uma avaliação da área e constatamos que a reserva indígena é bem favorável para o plantio de frutas pela abundância de água existente no local”, enfatiza João Marcos.

 

Durante a implantação dos pomares, os indígenas vão receber informações técnicas e orientações para conduzir o cultivo. Ribeiro declara que o plantio poderá começar no período das chuvas, ainda este ano.

 

Aproveitamento da mandioca

 

A Empaer, em parceria com a Prefeitura Municipal, realizou na aldeia Meruri uma oficina sobre o aproveitamento da cultura da mandioca. A extensionista social da Empaer, Zita Maria Ferreira Dourado, ministrou o curso e destacou diversas maneiras e formas do aproveitamento da mandioca. Ensinou na prática algumas receitas, como mané pelado, pão de mandioca, brigadeiro de mandioca, pão de queijo, escondidinho de mandioca, suco, pizza, roscas e outros, e transformou mandioca em farinha e polvilho dentro das técnicas de qualidade. O evento contou com a participação de 30 indígenas.

 

De acordo com a extensionita Zita Maria, a iniciativa ofereceu oportunidades às famílias para obter renda e lucro com a comercialização dos produtos. “Com a mandioca é possível fazer vários tipos diferentes de farinhas, doces, salgados e outros. O curso foi bem aceito pelos indígenas e na turma havia quatro homens que se destacaram na elaboração das receitas e realizaram vários pratos de forma correta e saborosa”, esclarece Zita.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 196 Setembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados