PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 29 de Janeiro de 2020, 09h:40
Tamanho do texto A - A+
AGRONEGÓCIO
VÁRZEA GRANDE Twitter

Meio Ambiente capacita agricultura familiar do manejo à comercialização do pescado

Por: Redação

 

A secretaria Municipal de Meio Ambiente por meio da coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande iniciou o ano oferecendo os cursos de cultivo de mandioca e beneficiamento de pescado a agricultores familiares dos bairros Sadia III, Bonsucesso e Capela do Piçarrão. Ao menos 40 pessoas estão sendo beneficiadas com os cursos de capacitações gratuitos, resultado de uma parceria entre a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e o Sindicato Patronal Rural de Nossa Senhora do Livramento.

 

O objetivo é de capacitar o pequeno produtor desde o início da produção até a sua comercialização, como explica a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Helen Farias Ferreira. “Para isso realizamos primeiramente um levantamento dos pequenos produtores e quais produtos eles já têm familiaridade ou cultivo. Também explicamos sobre a escolha adequada e o melhor produto, para melhorar a renda dentro da cadeia de produção de subsistência, e agora partindo para a sua comercialização”.

 

No caso do beneficiamento do pescado, o curso que está ocorrendo esta semana nas comunidades do Bonsucesso e na Capela do Piçarrão, esses mesmos produtores já receberam em 2019 o curso de implantação do cultivo de peixe. “Eles aprenderam que é necessário levar em consideração desde a qualidade da água para o crescimento do peixe, a espécie de peixe que será cultivada, a construção dos tanques, tamanhos, a questão da adubação, o tratamento da água, e, os procedimentos de manejo. Agora aprendem seu beneficiamento e posteriormente como comercializá-lo”, disse a secretária.

 

A capacitação é completa e voltada para especificamente aos pequenos produtores. Todos os materiais utilizados no aprendizado são gratuitos e o aluno não tem custo algum. Além de aprender como produzir a matéria prima e beneficiá-la, são ensinadas competências de empreendedorismo e de gestão, visando o desenvolvimento pessoal e da propriedade rural onde residem.

 

“Eles aprendem a planejar, levantar custos de produção e como comercializar. Tudo por módulos no decorrer do ano conforme levantamento de demandas realizado pela nossa Secretaria. Ao final de cada curso todos são certificados”, detalhou a secretária Helen Farias Ferreira.

 

Segundo o coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Everton Navarro, o trabalho da sua coordenadoria consiste em levar novos conhecimentos aos produtores rurais. “A pequena propriedade rural é responsável pela produção da maior parcela dos alimentos que chegam à mesa dos consumidores, no entanto, a falta de treinamento e de conhecimento adequado, muitas vezes impende o aumento da produtividade. Por isso proporcionamos a eles, ampliar sua produção, tornando-os mais competitivos, conquistando novos mercados e agregando valor aos seus produtos”.

 

O curso de cultivo de mandioca, cultura importante para a agricultura familiar, ainda poderá se desdobrar na fabricação de seus derivados lembra Everton Navarro. “Muitas famílias cultivam a mandioca, mas não de maneira eficiente. Também não sabem como agregar valor a este produto. O principal derivado da mandioca é a farinha torrada. Embora seu processamento seja simples e exija baixo investimento em infraestrutura, é importante atender práticas higiênico-sanitárias que garantam a conservação do produto e a segurança para consumo humano", esclarece o coordenador.

 

Em 2019, ao menos 150 pequenos produtores várzea-grandenses foram capacitados em 17 cursos diferentes. De fevereiro a junho deste ano já estão previstos os cursos de minhocultura; avicultura de corte; avicultura básica (sistema caipira); transformação caseira de produtos de origem animal em embutidos e defumados de carne suína; produção de ração para aves na propriedade; transformação caseira de produtos de origem animal em embutidos, defumados e beneficiamento e conservação do pescado; transformação caseira de produtos embutidos, defumados e beneficiamento de carne de frango; aproveitamento de resíduos da avicultura e da bovinocultura; Mulheres do Campo e a palestra “Sensibilização do Programa Negócio Certo Rural”.

 

Para a secretária Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Helen Farias Ferreira, também é objetivo dos cursos “sanar lacunas para que o pequeno produtor possa ter sucesso nas atividades dentro das suas propriedades. Auxiliamos para obterem lucros, além disso, também oferecemos cursos de gestão que ajudam o pequeno produtor a planejar e desenvolver a atividade. A promoção e o desenvolvimento profissional e social dos várzea-grandenses que sobrevivem do meio rural é fundamental em um Estado onde o setor do agronegócio é um dos principais componentes econômicos. Mato Grosso é um Estado agrícola e nosso município não poderia deixar de contribuir, com o avanço da agricultura familiar”, enfatiza a secretária.

Twitter

PUBLICIDADE



Edição 215 Fevereiro de 2020

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados