PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sábado, 13 de Julho de 2019, 09h:30
Tamanho do texto A - A+
AGRONEGÓCIO
VÁRZEA GRANDE Twitter

Meio Ambiente investe em programas para homens e mulheres que vivem da pequena propriedade rural

Por: Redação

 

No próximo dia 22 de julho, toda sociedade várzea-grandense poderá conferir o sucesso do programa realizado na comunidade rural de São José do Vista Alegre, em Várzea Grande, denominado de “Mulheres em Campo”. A partir das 16h na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, será realizada uma feira para comercializar os produtos desenvolvidos por mulheres que tiram o sustento das usas propriedades rurais.

 

“Este programa é especial, pois tem como foco o público feminino de pequenas propriedades rurais de Várzea Grande. Para realizá-lo contamos com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e do Sindicato Rural. Nas oficinas, essas mulheres desenvolvem competências de empreendedorismo e de gestão, visando o desenvolvimento pessoal e da propriedade rural onde residem. Por exemplo, elas aprendem a planejar, levantar custos de produção, como comercializar e o que produzir. Ao final das oficinas as participantes terão oportunidade de expor seu trabalho em uma feira que realizaremos para que todos conheçam os resultados e possam adquirir seus produtos”, detalhou a secretária municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Helen Farias Ferreira.

 

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Everton Navarro, a edição do programa “Mulheres em Campo” na comunidade rural de São José do Vista Alegre está sendo realizada durante todo este mês de julho. “As oficinas ocorrem durante todo o mês de julho, após a feira dia 22, teremos uma avaliação dos trabalhos. Como todo curso que buscamos ofertar voltado para produtores, trabalhadores rurais e seus familiares, procuramos, por meio de treinamentos e capacitações, mantê-los em sintonia com as exigências do mercado de trabalho, dando oportunidade para especialização e qualificação em diferentes ocupações. Nesta feira serão comercializados doces e salgados que tem como base produtos da agricultura familiar, por exemplo, biscoito de fubá e maizena, sucos naturais, doce de leite e de laranja, queijos, bolos, entres outros”, citou o coordenador.

 

Everton Navarro destaca que além do programa “Mulheres em Campo”, a Prefeitura desenvolve outros treinamentos gratuitos que atendem as demandas da agricultura familiar de Várzea Grande focados na gestão da propriedade, empreendedorismo e cidadania. “Com a parceria do Senar-MT e do Sindicato Rural de Nossa Senhora do Livramento, por exemplo, realizamos só este ano a capacitação de 100 homens e mulheres do campo. Para nós, a sala de aula é o curral, a plantação, o armazém, ou outro local em que o produtor e trabalhador atuam diariamente”, disse o coordenador se referindo ao curso de olericultura realizado na Capela do Piçarrão em abril, de transformação caseira de produtos de origem animal em embutidos, defumados e beneficiamento, conservação do pescado na comunidade do Vista Alegre, em maio.

 

Para Helen Farias a promoção e o desenvolvimento profissional e social dos várzea-grandenses que sobrevivem do meio rural é fundamental em um Estado onde o setor do agronegócio é um dos principais componentes econômicos. “Mato Grosso é um Estado agrícola e nosso município não poderia deixar de contribuir. Segundo dados do Senar-MT, há opções para os grandes, médios, pequenos e até para os microprodutores, para isso precisamos investir em capacitação e qualificação dessa mão de obra. Além de treinamentos de atendimento ao cliente, comercialização de produtos agropecuários, empreendedorismo, e, de como agregar valor aos produtos do campo estamos focando também em gestão. Queremos transformar esses pequemos produtores em gestores rurais, administradores de suas pequenas propriedades com o programa ‘Negócio Certo Rural”, enfatizou a secretária.

 

As comunidades do Sadia I, Sadia III, e do São José do Vista Alegre, também receberam em maio, junho e julho deste ano os cursos de derivados do milho e Negócio Rural; cadeia produtiva do pescado; agente sanitário em saúde animal e transformação caseira de produtos de origem animal em embutidos e defumados de carne suína, respectivamente. 

 

“O apoio e a assistência que realizamos a esses pequenos produtores não se resume a capacitações, envolve também a cidadania. Eles sentem que não estão sozinhos e veem na Prefeitura de Várzea Grande um parceiro. Por exemplo, quando realizamos os ‘Mutirões Rurais’ levamos diversos serviços. Recentemente moradores do Sadia III receberam os óculos de visão das consultas médicas realizadas em 04 de maio durante o mutirão”, informou o coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande, Everton Navarro.

 

Está previsto para setembro deste ano o curso de piscicultura, e, outubro o de transformação de produtos de origem animal em embutidos e defumados de carne suína. Para 2020 já estão previstos outros 20 cursos para as comunidades rurais de Várzea Grande.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 204 Novembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados