PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sexta-Feira, 13 de Setembro de 2019, 14h:57
Tamanho do texto A - A+
BRASIL
PRESIDENTE Twitter

Bolsonaro tem sonda retirada e volta a se alimentar com dieta líquida, diz boletim

Por: G1

REPRODUÇÃO

BOLSONARO

 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se recupera de uma cirurgia realizada em São Paulo, teve retirada a sonda nasográstica e voltou a receber dieta líquida, segundo boletim médico divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Hospital Vila Nova Star. Ele vinha se alimentando apenas por dieta endovenosa. Segundo os médicos, Bolsonaro recebe a dieta líquida via oral mas ainda precisa do complemento da dieta intravenosa para alcançar a quantidade de calorias necessárias.

 

"Tiramos a sonda, demos um pouquinho de líquido, em geral 50 mL de hora em hora. Daí a necessidade de manter a dieta intravenosa", diz o cirurgião Antônio Macedo. "Quando puder aumentar o volume da dieta líquida sem que ele se sinta mal ou tenha uma distensão, eu começo a diminuir a parenteral e paralelamente aumentar a dieta oral. Por enquanto fica perigoso aumentar rapidamente a dieta líquida", afirmou o cirurgião-chefe Antônio Luiz Macedo.

 

Veja o boletim médico

"O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, apresenta boa evolução clínica. Permanece sem dor, afebril e com melhora acentuada dos movimentos intestinais. Foi retirada a sonda nasogástrica e reintroduzida a dieta líquida. Está mantida a alimentação parenteral (endovenosa). Continua com fisioterapia respiratória e motora, deambulando pelo corredor. As visitas seguem restritas", diz o boletim.

 

A retirada da sonda estava prevista para noite de quinta-feira ou manhã desta sexta-feira. Segundo Macedo, durante a noite a sonda ainda estava aspirando ar, então decidiu fazer a retirada pela manhã.

 

"Nós pudemos retirar a sonda gástrica porque a drenagem foi bem reduzida de ontem para hoje. E ele começou a ter função intestinal", disse.

 

O presidente tem caminhado no corredor e feito fisioterapia respiratória.

 

Bolsonaro ficará afastado do cargo por mais quatro dias, mantendo a previsão da nota divulgada na tarde desta quinta-feira (12) pelo porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Ele deve retomar as funções do Executivo na próxima terça-feira (17).

 

"A alta se dá quando ele tiver sem a necessidade da [alimentação] parenteral e alimentando-se bem com a dieta líquida. O que deve acontecer daqui a três ou quatro dias", disse o doutor Macedo.

 

Diferente do que estava previsto anteriormente, de dias de repouso no próprio hospital após a alta médica, o médico afirmou que o presidente deve agora ir direto para Brasília. "Quando tiver alta ele vai para Brasília e a gente faz o retorno precoce, dentro de quatro ou cinco dias".

 

Segundo o porta-voz, está mantida a programação para a participação do presidente na Assembleia da ONU, em Nova Iorque, no dia 24 de setembro.

 

Às 19h desta quinta (12), Bolsonaro fez uma live no Facebook e falou pela primeira vez desde que passou pela cirurgia de hérnia. Ele fez balanço de medidas do governo federal e agradeceu aos médicos que o atenderam desde que levou facada durante as eleições do ano passado.

 

Foi a quarta operação desde a facada sofrida por ele durante a campanha eleitoral de 2018. Desta vez, o objetivo era corrigir uma hérnia (saliência de tecido) surgida no local das intervenções anteriores.

 

 

Desde domingo, o vice-presidente Hamilton Mourão ocupa o cargo de presidente da República de forma interina.

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 204 Novembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados