PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019, 09h:18
Tamanho do texto A - A+
CIDADES
ENTREVISTA DA SEMANA Twitter

Débora Marques: “Estamos com uma comissão realizando um estudo para apresentar até o final do ano para o prefeito Emanuel Pinheiro a viabilidade da realização de um concurso público”

Por: Redação

 

Secretária Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Débora Marques Vilar é a entrevistada da semana do Notícia Max, onde fala sobre o processo seletivo da Pasta visando contratar 60 profissionais. Também relata sobre a capacitação dos comerciantes de rua, o ordenamento do Centro Histórico de Cuiabá, e o incentivo à agricultura familiar.

 

Notícia Max - A Secretaria encerrou a inscrição para o processo seletivo na semana passada. Vai suprir a necessidade de pessoal? E quando ocorre o chamamento dos aprovados?

 

Débora Marques – Hoje a nossa Secretaria demanda menos de 120 servidores, e desses 120 temos alguns comissionados, alguns efetivos e essa contratação ela vem para complementar esse quantitativo. Por isso estamos ofertando a oportunidade dessas vagas, são 60 vagas imediatas, assim que encerrar todo o processo, vamos convocar essas pessoas para iniciar os trabalhos na Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico.

 

Notícia Max – Mas há previsão da realização de concurso público?

 

Débora Marques – Como essa quantidade de servidores que estamos fazendo o processo seletivo, representa a metade dos nossos servidores, estamos com uma comissão realizando um estudo para apresentar até o final do ano para o prefeito Emanuel Pinheiro a viabilidade para a realização de um concurso público.  Então assim que o concurso público fosse homologado faríamos a substituição dessas pessoas contratadas.

 

Notícia Max – E esse trabalho de capacitação de comerciantes de rua? Como é realizado, quem são os beneficiados?

 

Débora Marques – A Prefeitura está legalizando essa atividade, principalmente na área central onde havia um desordenamento. Então nossa intenção é ordenar o centro da Capital, para que até o Natal consigamos viver de uma forma mais ordenada com os alimentos de rua para a população, abrindo, por exemplo, vagas para os motoristas que precisam de estacionamento na área central.

 

Para isso o prefeito Emanuel Pinheiro nos pediu que mudasse a lei, porque hoje a lei que é de 2015 não permite nenhuma atividade física de comércio de rua no Centro Histórico, então pediu para fizéssemos essa alteração para que garantisse essas pessoas no centro, pois tem pessoas lá que estão ali há mais de 25 anos, que estão ali de forma irregular, mas estão. E o prefeito determinou essa alteração para que seja possível regularizar a permanência de alguns ou algum deslocamento de alguns, mas que permanecessem na área central e garantisse à população para poder comer o seu cachorro quente, o seu pastel, tomar o seu açaí, com comerciantes que estejam regularizados, dentro da legislação, cumprindo todos os requisitos, inclusive da vigilância sanitária.

 

Notícia Max – Houve alguns que foram deslocados para o Shopping Orla, mas reclamam de dificuldades de comercialização no local.

 

Débora Marques – Na realidade, o Shopping Orla foi oferecido para os ambulantes que não são de alimentos de rua. São aqueles que vendem outros objetos. Foi oferecido esse espaço, essa atividade ainda não é regulamentada, que são os camelôs, os ambulantes, que não é a atividade de comerciante de rua, são coisas diferentes. À atividade de comércio de rua não foi oferecido o Shopping Orla, foi oferecido a esses outros que ficam ali com o tripé, com uma caixa ou com o objeto na mão que foi oferecido para que eles fossem para lá.

 

O Shopping Orla o prefeito está construindo um projeto de reforma. Ele foi construído em uma época que ele não atende mais. No período de chuva temos chuva e no período de sol temos o sol lá, e estamos com a proposta de uma reforma geral para aquele espaço, até porque a Feira do Porto em breve já terá início  a obra, o prefeito vai emitir a ordem de serviço para o início da reforma completa e aí o prefeito pediu para que construíssemos juntos um projeto para o Shopping Orla e pudéssemos fomentar aquele espaço, levar serviços para lá, como banco, como os Correios, como o Sine que é da nossa Secretaria, para estar atraindo a população. Primeiro organizar o espaço para que os comerciantes tenham um espaço mais adequado, mais digno para eles trabalharem. 

 

Notícia Max – A Secretaria visando a valorização dos artesãos inaugurou um espaço no Mercado Municipal, dando um novo ar ao local. Isso representa o início do processo de revitalização do Mercado?

 

Débora Marques – Sim, já está deflagrado pela Secretaria de Gestão, já tem até uma comissão onde estará publicando ainda este mês um Edital de Chamamento as pessoas que tenham interesse em apresentar um projeto de reforma do Mercado Municipal, para que apresente para a Prefeitura e o melhor projeto será acatado e vamos startar para o início do ano que vem a reforma do local, garantindo a sua característica, a cultura do povo cuiabano, para as pessoas irem ali, verem a cultura como é o caso do espaço do artesão. É interessante que as pessoas vão e conheçam o trabalho dos artesãos e possam estar valorizando e conhecendo a cultura cuiabana.

 

É um espaço muito interessante para quem não conhece, poder conhecer, e tenho certeza que os turistas vão passar por ali, vão gostar e vão levar um pouquinho da nossa cultura para onde eles estiverem viajando.

 

Notícia Max – E como está o incentivo à agricultura familiar?

 

Débora Marques – Nós também temos uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro de fomentar a agricultura familiar, até porque pela importância que ela tem na nossa vida. Ela é responsável por 70% do alimento que vai à nossa mesa. Então ele pediu um estudo, no dia 11 estivemos com 15 produtores no intercâmbio da banana da terra, para vermos como podemos estar fomentando essa atividade. 

 

Nós também vamos para Cáceres conhecer o que há de mais inovador em tecnologia para produção e vamos incentivar e fomentar alguns produtores que já cultivam esse produto. Então estamos fazendo um diagnóstico, na questão do etanol social, estamos com uma equipe a campo, levantando cada atividade, a produção de cada um, levando informações técnicas e fomentando, porque é muito variado, cada um tem um produto, cada um tem uma produção diferenciada. Aí estamos levando benefícios, como por exemplo, o prefeito vai inaugurar no dia 26 de outubro um poço que vai atender mais ou menos 45 famílias no Barreiro Buritizal, então levamos o poço que vai ajudar o abastecimento daquelas famílias e também fomentar a produção da agricultura familiar. 

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 207 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados