PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 16h:15
Tamanho do texto A - A+
CIDADES
CAPACITAÇÃO Twitter

Gestores da CGM participam de Seminário Regional de Participação e Controle Social

Por: Assessoria

Encontro discutiu o papel das ouvidorias como um instrumento de proteção do usuário dos serviços públicos

Pensar no controle social de maneira mais ampla, tornando a participação popular cada vez maior, à medida que gera resultados eficazes. Ao longo desta quinta-feira (12), gestores da Controladoria Geral do Município (CGM) e de outras instituições debateram esta e outras temáticas, através do Seminário Regional de Participação e Controle Social, realizado pelo Conselho Federal de Contabilidade e pela Controladoria Geral da União.

 

O evento foi marcado por uma série de palestras que explanou o papel das ouvidorias como um instrumento de proteção do usuário dos serviços públicos, o Programa de Fortalecimento das Ouvidorias, a transparência e acesso à informação, além de formas de trabalhar a participação e o controle social. Para a diretora de Transparência de Cuiabá, Luana Kahara, a oportunidade foi valiosa para o conhecimento de novas metodologias de atuação, os auxiliando a vislumbrar formas inovadoras de não apenas aprimorar o controle interno, bem com a eficiência na prestação dos serviços ao cidadão.

 

“A conectividade entre as ouvidorias dos poderes executivos, legislativos e judiciários foi um dos aspectos cruciais deste seminário, uma vez que atualmente observamos que estes órgãos tendem a desempenhar o mesmo trabalho, uma vez que as unidades não conversam entre si. Por estarmos em um contexto social onde o cidadão desconfia da eficácia da resposta de suas demandas, denúncias ou reclamações, é comum que uma mesma solicitação seja feita em três ou até mais serviços de atendimento. O debate que tem sido manifestado é a construção de um sistema que unifica todas ouvidorias, conferindo mais celeridade na retorno ao munícipe. Indo mais além, a CGU tem trabalhado em uma plataforma inteligente, capaz de fazer uma leitura das solicitações feitas pelos usuários, respondendo de imediato aquelas cujas respostas já são padronizadas e permanentes ”, afirmou Luana.

 

Encarar a tecnologia e as mídias sociais como uma ponte entre o município e as necessidades da população é também um aspecto latente e que foi amplamente debatido em uma das palestras ministradas. Para a diretora, a Controladoria e a Ouvidoria precisam dimensionar e atualizar a forma de atuação, usando essas ferramentas como instrumentos fiscalizatórios para o contribuinte. A gestora ainda salientou que uma prefeitura consegue atender melhor seu povo quando todas as suas pastas trabalham em uníssono, contando com o suporte das equipes responsáveis pelo controle interno e externo.

 

“Todo canal de comunicação é um instrumento de ouvidoria e controle social. A tecnologia nos garantiu um leque amplo de mídias que ligam o cidadão aos serviços prestados pelo poder público, seja através de fanpages das instituições, bem como por meio de outras plataformas. É necessário saber olhar para estes dispositivos como um aliado, recebendo as solicitações do cidadão - que naturalmente se expressa nestes canais, buscando respostas que muito mais que atender a um questionamento, possibilitem a construção de políticas públicas genuínas. Como gestores que trabalham nesta área, temos que assumir a responsabilidade de sinalizar as demandas que nos chegam, pensando em soluções para problemas maiores e não uma mera resposta para uma questão particular, que pode até mesmo ser um pequeno excerto de um gargalo real na nossa cidade”, concluiu.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 170 Março de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados