PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 11 de Julho de 2019, 13h:14
Tamanho do texto A - A+
CIDADES
MONITORAMENTO Twitter

Grupo de Monitoramento do Sistema Carcerário conhece boas práticas da Mata Grande

Por: REDAÇÃO

A segunda maior penitenciária do Estado, a Major Eldo de Sá Correa, conhecida por Mata Grande, instalada em Rondonópolis (a 212 km ao sul) recebeu nesta quarta-feira (10) o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do Tribunal de Justiça (GMF/TJMT), formado pelo supervisor, desembargador Orlando Perri, o juiz coordenador, Geraldo Fidelis, juiz-auxiliar, Bruno D´Oliveira Marques e demais integrantes.

 

O grupo verificou que a unidade desenvolve ações que empregam mão de obra de reeducandos em serviços da unidade como panificação, lavanderia e horta. Além disso, possui parcerias para ofertar trabalhos extramuros.

 

O diretor do presídio, Ailton Ferreira, afirmou que atualmente a Mata Grande abriga cerca de 1.500 detentos e desse total 415 recuperandos trabalham dentro (intramuros) e fora da unidade (extramuros). Citou uma parceria com a Prefeitura de Rondonópolis que possibilita que reeducandos realizem trabalho para a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder e também uma parceria com a Concessionária Morro da Mesa, responsável pela conservação e preservação da MT-130.

 

O desembargador Orlando Perri destacou que a boa práticas de Mata Grande não é a regra no sistema penitenciário e o intuito das visitas aos municípios polos pelo GMF é a troca de experiência para saber o que esta dando certo e como humanizar os presídios que tem o dever de recuperar a pessoa em cárcere. “Entretanto, nossos presídios ainda se aproximam muito às masmorras dos tempos medievais. Nosso objetivo é fazer um diagnóstico do atual sistema penitenciário de Mato Grosso e sensibilizar autoridades sobre a importância da inserção dos reeducandos no mercado de trabalho. Não podemos continuar neste círculo vicioso e devolver a sociedade pessoas piores do que eram”.

 

“É muito simples dizer que o sistema carcerário está falido, mas precisamos gerar criatividade, verificar as potencialidades de cada região, ver a possibilidades de crescimento de colocação desses homens e mulheres no mercado de trabalho”, complementa Fidelis.

 

A comitiva ainda era composta pelo secretário de Estado de Segurança Pública (SESP-MT), Alexandre Bustamante, presidente da Funac, Dinalva Souza, psicólogo da Funac, Walter Mutran de Oliveira, advogada do Sistema Penitenciário, Sibele Roika, e agente penitenciário Jean Carlos Gonçalves.

 

Nesta quinta-feira (11), o grupo segue para o polo de Primavera do Leste (Jaciara, Juscimeira, Dom Aquino, Campo Verde, Poxoréo e Paranatinga).

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 187 Julho de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados