PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 29 de Maio de 2019, 16h:15
Tamanho do texto A - A+
CIDADES
COMBUSTÍVEL Twitter

Ipem fiscaliza bombas de combustível em Cuiabá

Por: Redação

O Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem) está realizando uma operação nos postos de combustível de Cuiabá para verificar o funcionamento das bombas. O trabalho é uma parceria com a Polícia Civil, por meio da Delegacia do Consumidor, e tem o objetivo de certificar que a quantidade que entra no tanque dos carros corresponde ao que é cobrado pelo equipamento. Neste ano até o presente momento, 2.051 bicos em bombas de combustível foram verificados e o índice de reprovação foi de 5,7%.

 

Segundo o técnico fiscal metrológico Hercílio Rodrigues Filho, a ação foi proposta pela polícia após denúncias de clientes. Como os locais apontados pelo consumidor se repetiram nas ocorrências, a aferição, que está dentro das atividades de rotina da autarquia, foi solicitada.

 

Quando os técnicos chegam ao local, eles usam um aferidor de medida de volume de 20 litros, padronizado para ação, para coletar material. Ao final, é possível ver se o equipamento está transferindo ao recipiente mais ou menos do que é requisitado.

 

Caso haja uma diferença maior que 100ml para mais ou para menos, aquele bico está reprovado, conforme o estabelecido nas normas do Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade (Inmetro). Quando a diferença em prejuízo ao consumidor for acima de 100 ml para menos, a polícia configura a ação como ilegal, conhecida popularmente como “golpe da bomba baixa”.

 

De acordo com a diretora de Fiscalização do Ipem, Jussara Amaral, os dois órgãos sempre trabalham em parceria e as atividades conjuntas não se resumem as bombas de combustível. “Estamos sempre à disposição para contribuir para a segurança do consumidor”.

 

Recomendações

 

Os fiscais do Ipem recomendam aos comerciantes que façam a aferição de volume no mínimo uma vez por semana para sanar qualquer tipo de problema o mais rápido possível, reduzindo as possibilidades de ser autuado.

 

Já aos consumidores, é indicado que tenham atenção na hora do abastecimento e certifiquem-se que os números foram zerados antes de começar a encher o tanque. Caso haja dúvida sobre o funcionamento da bomba, pode-se pedir na hora a checagem, realizada em um recipiente lacrado de fábrica e específico para esta função.

 

Caso haja recusa em realizar o teste, o cliente pode denunciar o estabelecimento.

 

Denúncias

 

Em caso de suspeita de ilegalidade, deve-se procurar a ouvidoria do Ipem-MT (65 3624-8785) e também formalizar a denúncia na Decon: 65 3901-4809.

 

Para as situações que envolvam suspeita na adulteração do combustível, deve-se ligar para a Agencia Nacional de Petróleo (ANP), que recebe ligações gratuitas no número 0800 970 0267.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 205 Novembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados