ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 09 de Agosto de 2018, 17h:40
Tamanho do texto A - A+
Twitter
RONDONÓPOLIS

Parceria possibilitará espaço de leitura para reeducandas

Por: Fernanda Nazário | Sejudh/MT

Foto: Sejudh/MT

 

 

Uma parceria entre a unidade prisional feminina de Rondonópolis (245 km ao sul de Cuiabá) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) possibilitará que as reeducandas tenham um espaço para estudo e leitura. A biblioteca Patrícia Galvão contará, de início, com 400 livros, entre gêneros literários e outros, que foram arrecadados em uma campanha realizada pela UFMT e a comunidade local. 

 

Conforme a diretora da unidade, Silvana Lopes, o novo espaço deve ser inaugurado em setembro. “Já está quase tudo pronto, falta só instalarmos o computador e finalizar a catalogação dos livros”.

 

A biblioteca será instalada em uma sala climatizada da unidade. Os móveis (mesa e estantes) foram confeccionados pelos reeducandos que trabalham na marcenaria da Penitenciária Masculina Major PM Eldo Sá Correa, também em Rondonópolis.

 

Leitura sem grades

 

A implantação da biblioteca na unidade é o desdobramento de um grupo de leitura coordenado por professores da UFMT. Após perceberam que o espaço onde eram realizados os encontros com as reeducandas estava pequeno e sem estrutura, os integrantes do projeto ‘Leitura sem Grades’, da universidade, em conjunto com a unidade e representantes da Promotoria de Justiça Criminal e da Vara de Execuções Penais propuseram melhorias.         

 

Eles elaboraram a Portaria n. 001/2017 que trata da remição de pena por leitura para a Cadeia e em seguida promoveram uma campanha de arrecadação de livros. Conforme a professora da UFMT, uma das idealizadoras da biblioteca, Kátia Janzkovski Cardoso, os livros já estão em processo de catalogação no Departamento de Biblioteconomia da UFMT e deve ser entregue em breve à unidade.

 

O nome da biblioteca foi escolhido pelas recuperandas em homenagem a Patrícia Galvão (Pagu), nascida em 09 de junho de 1910. Ela foi uma intelectual, cronista, romancista, correspondente internacional, militante política, feminista e modernista de grande peso na história do Brasil.

 

O projeto Leitura sem Grades é ligado ao Departamento de Educação e ao Programa de Mestrado em Educação da UFMT desde o ano de 2015. O objetivo é levar literatura a grupos que se encontram com restrição de liberdade

 

Leitura por remição de pena

 

Além de um espaço para leitura e aprendizado, a biblioteca contribuirá para a remição de pena das reeducandas. De acordo com a Lei de Execução Penal, para alcançar a remição, a presa precisa realizar a leitura de um livro e posteriormente elaborar uma resenha, resumo ou comentário fundamentado.

 

No caso das internas de Rondonópolis, os textos elaborados são corrigidos pela equipe pedagógica da cadeia e/ou equipe do Projeto “Leitura sem Grades”, antes de serem encaminhadas ao juiz, para formalização dos dias remidos. A recuperanda poderá ler um livro ao mês, podendo remir, ao final de um ano, até 48 dias de sua pena.

Twitter



Edição 143 de Agosto de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.