ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 03 de Outubro de 2018, 10h:18
Tamanho do texto A - A+
Twitter
OBRAS DE ARTE

Artista de Mato Grosso expõe 'Doze Discipulos' na Europa

Por: REDAÇÃO

Divulgação

obra

 

O artista Zeilton Mattos volta à cena da arte, agora na coletiva 'Doze Discípulos', com doze artistas brasileiros, que foi aberta nessa terça-feira (2), em Paris, no Centro de Cultura Maurice Ravel, na França. A mostra segue até dia 26.

 

Considerado como um dos artistas plásticos mais pluralista de Mato Grosso, Zeilton revela em suas obras uma interessante fusão entre essência da baianidade [onde nasceu] com a riqueza dos valores da cuiabania [onde vive desde os 5 anos]. É neste casamento bem-sucedido que ele dá o tom da brasilidade às suas telas.

 

Com quatro trabalhos - a moça e a angola, a musa, homenagem à França, o vaso de romã -, o artista plástico volta a exibir a exuberância de suas mulheres, doces, femininas, porém, empoderadas. Cuidadosamente rodeadas de alguns de seus mais amados elementos: as romãs e a galinha de angola, desvelando a saudade do menino que ao passear pelas antigas ruas da capital, observava curioso os quintais cuiabanos. 

 

Para o artista, as telas vão mostrar em terras europeias um pouco de sua técnica, de suas cores, enfim um pouco de sua identidade. Em uma delas, o galo – um dos elementos mais presentes em sua arte -, Zeiton realiza uma interessante homenagem ao colocá-lo para interagir com um elemento que é, igualmente, originário da França.

 

Sem esquecer de adornar seu galo com outra arte – a dança -, tela mundialmente conhecida de um dos mais famosos pintores da França, Henri Matisse, cuja obra está exposta no Museu de Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia.  

 

Brincando ainda com outras iconografias francesas como os balões e torre eiffel. Escolhas, aliás, habituais dos turistas que visitam o último andar da Eiffel ou ainda a basílica de Sacré Coeur, para admirarem Paris das alturas. 

 

Nestas telas, Zeilton faz um passeio semiótico, carregado de preciosismo, pois expõe, ao revisitar algumas fases de sua arte, elementos não-verbais carregados, no entanto, de interpretações. 

 

Divulgação

obra

Ao brincar com suas angolas, suas romãs, suas angelicais libélulas ou seu galo, ele insere estes elementos em cores minuciosamente bem casadas. Em pinceladas que às vezes parecem terem sido tocadas por Merlin, o mago. Pois cada pincelada conta uma história e revela a magia de um trabalho que busca ressignificar a sua infância. 

 

É como se como se o menino não conseguisse deixar partir o homem que cresceu. Nem tampouco, o artista deixa que se vá a criança que corre dentro dele

 

Se autodenominando como um pintor popular, uma espécie de MPB da arte, Zeilton – que para alguns críticos é um surrealista de mão cheia - tem ainda este ano outras exposições, como a participação também em Paris, na coletiva que será realizada no Carrousel Du Louvre de 19 a 21 de outubro. Depois de 03 a 10 de novembro, em Portugal, no Clube Nacional de Artes Plásticas, em Lisboa. E no Brasil fecha o ano com a participação em uma mostra no Rio de Janeiro, no 2º piso do Via Parque Shopping, de 29 de novembro à 05 de dezembro.

 

Participam de Mato Grosso além de Zeilton, da exposição no Centro de Cultura Maurice Ravel, em Paris, os artistas Valques Pimenta, Sebastião Mendes e Osíris Paulo. Uma coletiva com estilos bem variados. Assim, terá desde o naif, aquarela, surreal, pop até fotografias.

Twitter


Veja mais sobre este assunto:


Edição 160 Dezembro de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.