PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 02 de Maio de 2019, 08h:41
Tamanho do texto A - A+
CULTURA
271 ANOS Twitter

Concerto marcado pela diversidade celebra aniversário de Mato Grosso

Por: Redação

Reprodução

 

A descentraliação no acesso à cultura e a arte foi a proposta principal do espetáculo Mato Grosso de Todos os Ritmos, que ocorreu na noite desta terça-feira (30), unindo a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), sob a batuta do maestro Fabrício Carvalho, e uma dezena de artistas em um concerto marcado pela diversidade e alegria. 

 

“Um concerto que vai ficar para a história. Uma reunião de diversos representantes das tradições musicais de Mato Grosso em um único espetáculo. Uma iniciativa bem-sucedida em favor da democratização do acesso aos nossos bens culturais. O primeiro de muitos. A ideia é que possamos levar a orquestra e muito mais convidados para todos os cantos do Estado, para praças públicas e lugares de fácil acesso a população, valorizando sempre nossas tradições e nossos artistas e promovendo a arte”, descreveu o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Allan Kardec. 

 

De acordo com a Polícia Militar, aproximadamente duas mil pessoas prestigiaram o espetáculo realizado na véspera de feriado do trabalhador, no entorno da Arena Pantanal, em comemoração aos 271 anos de Mato Grosso e aos 300 anos de Cuiabá.

 

Com arranjos inéditos especialmente encomendados ao maestro Leoni Pepe D'Adderio, todo o repertório da noite foi pensado para exaltar a música mato-grossense e, principalmente, valorizar os artistas do Estado.  

 

Entre os convidados e gêneros musicais dessa primeira edição foram destacados: o lambadão do grupo Erre Som, o rasqueado de Roberto Lucialdo e do trio Pescuma, Henrique e Claudinho, a tradicional música cuiabana de Vera e Zuleica, a Bateria Touceira da Confraria do Bode, a música sertaneja de Johnny Everson e Allan Maycon, o pop rock da banda Strauss,  o rap de Breno Dz6 e do haitiano radicado em Cuiabá, Asid Adult Man, a música romântica de Queila Ribeiro e a erudição da violinista venezuelana Yndira Villaroel.

 

“Hoje, tivemos aqui uma grande representação da qualidade da música mato-grossense, permeada pela presença importante da universidade pública. Trata-se de um compromisso com a cultura estadual. Precisamos desse tipo de iniciativa para fortalecer, valorizar e promover o acesso aos bens culturais, é uma questão de cidadania. E a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer é fundamental para esse processo. A propósito, é uma das mais importantes secretarias do Governo que, com a iniciativa deste evento, demonstrou estar no caminho certo”, ressalta Fabrício Carvalho.

 

Da mesma maneira, pensa o cantor e compositor Pescuma, que ao lado de seus parceiros Henrique e Claudinho, que homenageou Cuiabá com a canção “Despertar no Paraíso”.

 

“Nossa capital está no Centro Geodésico da América do Sul e isso já resume essa pluralidade cultural, essa diversidade de ritmos. O maestro Fabrício Carvalho tem essa capacidade de misturar o popular e o erudito nesse caldeirão maravilhoso que é a cultura mato-grossense. Também quero parabenizar o secretário Allan Kardec e o governador Mauro Mendes por essa grata iniciativa em favor da cultura. O primeiro grande evento dedicado à música, nessa nova gestão, resulta nessa comunhão entre muitos artistas. Temos que juntar todas as forças mesmo. Nós, artistas, precisamos é de oportunidades, porque tocar e cantar a gente sabe fazer muito bem”, ressalta Pescuma.

 

Reverência ao mestre Bolinha

 

O homenageado da noite foi o lendário saxofonista Bolinha, que fechou a noite convidando todos os artistas a voltarem ao palco, para uma bela interpretação da canção “Carinhoso”, de Pixinguinha. “Hoje eu deixo o rasqueado a cargo do trio Pescuma, Henrique e Claudinho porque essa canção – Carinhoso - eu dedico à toda a cultura de Mato Grosso. Eu sinto que a nossa música ganha um fôlego com esse concerto de hoje, tem muita gente bacana envolvida. Está tudo muito bonito. Mato Grosso está bonito, Cuiabá está bonita”, comemora Bolinha.

 

Promovendo encontros inusitados, a noite passeou por diversos ritmos, como o híbrido lambadão. Para Roni, vocalista da banda Erre Som, o concerto foi um marco na carreira do trio.

 

“O lambadão vem conquistando seu espaço há algum tempo, mas hoje chegamos a um ponto muito importante das nossas carreiras. Poder tocar com a Orquestra Sinfônica da UFMT é um privilégio muito grande e sinal de que o lambadão tem um papel importante entre os ritmos de Mato Grosso. É motivo de muita felicidade ver o lambadão representado nesse encontro de todos os ritmos. O Erre Som com a orquestra é muito gostoso”, festeja.

 

Quem também comemora essa mistura entre a música de orquestra e os ritmos populares é Roberto Lucialdo, um dos grandes representantes do rasqueado em Mato Grosso. “Em toda minha carreira, esta é a primeira vez que vou tocar com uma orquestra. Estou muito emocionado, por isso escolhi uma canção que compus há exatos 31 anos, em homenagem à nossa capital, ‘Cuiabá, Cuiabá’”, revela Lucialdo.

 

E o público, aprovou a diversidade musical da noite de “todos os ritmos”. Meire Dias, comerciante, disse que é fã dos ritmos locais, como rasqueado e lambadão. “Eu nunca tinha visto uma orquestra tocando com músico de lambadão e rasqueado. Foi uma coisa impressionante de se ver. Ganhei a noite. Vou voltar para casa muito melhor de quando cheguei”, se diverte.

 

O evento ainda abraçou o propósito de angariar alimentos pata a campanha SOS Funcionários da Santa Casa de Cuiabá, já que a entrada era 1 kg de alimento não-perecível. 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 183 Junho de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados