PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 16h:47
Tamanho do texto A - A+
ECONOMIA
SEM GANHO REAL Twitter

Governo propõe mínimo sem ganho real a partir de 2020

Equipe econômica informa que correção será apenas pela inflação. Para o ano que vem o salário mínimo será de R$ 1.040

Por: Mariana Londres, de Brasília

 

A equipe econômica do governo Bolsonaro decidiu acabar com o aumento real do salário mínimo, que vinha sendo praticado desde 2011 pela política de valorização do mínimo instituída pela presidente Dilma Rousseff.

 

A partir do ano que vem, o salário mínimo será reajustado apenas pelo INPC, índice de inflação do ano anterior. Neste ano, o mínimo está em R$ 998.

 

Pela proposta do governo, em 2020 o salário mínimo será de R$ 1.040.

 

Em 2021, R$ 1.082.

 

Para 2022, o valor previsto é de R$ 1.123.

 

O índice de reajuste do mínimo para os anos de 2020, 2021 e 2022 consta no PLDO 2020 (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias), apresentando nesta segunda-feira (15) pelo Ministério da Economia. A LDO ainda terá que ser aprovada pelo Congresso.

 

A regra praticada de 2011 a 2019 previa que o mínimo fosse reajustado com um índice de inflação do ano anterior mais o PIB (Produto Interno Bruto)  de dois anos anteriores, o que proporcionava ganho real para o salário na mesma proporção do crescimento do país.

 

A regra foi abandonada pelo governo Bolsonaro porque a equipe técnica avaliou que o ganho real do mínimo teria um impacto muito grande no déficit da Previdência e ameaçaria o cumprimento do teto de gastos.

 

Os economistas do governo justificaram os números do PLDO 2020 pela legislação vigente, o cumprimento do teto de gastos e a redução do endividamento brasileiro.

 

O secretário especial de Fazenda, Walderly Rodrigues, falou do reajuste do mínimo pelo INPC, explicando que o governo ainda pode alterar a política de reajuste do mínimo.

 

- Esses valores do mínimo são paramétricos, com ganhos pela inflação do INPC, mas o governo tem até dezembro para enviar uma definição da política do salário mínimo.

 

O secretário lembrou que as duas maiores despesas da União são Previdência e pagamento de pessoal. A maior parte dos benefícios previdenciários é de um salário mínimo.

 

O presidente Jair Bolsonaro tem até dezembro para alterar a nova política do salário mínimo, mas é pouco provável que isso aconteça. Cerca de 70 milhões de brasileiros, ou um terço da população, recebem um salário mínimo ou menos no Brasil.

 

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 179 Maio de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados