ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 09 de Julho de 2018, 09h:27
Tamanho do texto A - A+
Twitter
PESQUISA

Junho registra a terceira queda consecutiva no número de endividados em Cuiabá

Por: Redação

 

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) apresentou a terceira queda consecutiva do seu índice no mês de junho e atingiu 59,5% do total de famílias em Cuiabá, contra 60,1% registrado em maio e 61,7% em abril. Apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada nesta sexta-feira (06), pela Fecomércio-MT, a pesquisa atual também é 2,1 pontos percentuais menor se comparado com o mesmo período do ano passado (61,6%).

 

O estudo mostra ainda que a proporção das famílias com dívidas ou contas em atraso também diminuiu neste mês, de 29,2% em maio para 27,4% em junho. Na comparação anual, houve redução de 4,9 pontos percentuais sobre junho de 2017.

 

Já a proporção de famílias que declararam não ter condições de pagar as suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes passou de 19,2% em maio para 17% em junho. Na comparação anual das famílias que estão nestas condições, a queda foi de um ponto percentual.

 

Uso do cartão de crédito lidera e deixa as famílias por quase sete meses comprometidas com dívidas

O cartão de crédito continua sendo o principal tipo de dívida das famílias (67,6%). Este índice saltou 5,3 pontos percentuais quando comparado com junho de 2017. Os carnês ocupam o segundo lugar, com 32,7% e, em terceiro lugar, está o crédito consignado com 7,9%. Em média, as famílias que se encontram endividadas passam 6,9 meses comprometidas com contas parceladas, sendo que 26,9% delas possuem dívidas por mais de um ano. Este percentual é maior nas famílias que recebem acima de 10 salários mínimos (39%).

 

Entre as famílias endividadas, a parcela da renda comprometida está em 17,5%, sendo que 56,8% delas possuem até 10% da renda comprometida. Nas famílias que recebem acima de 10 salários mínimos, o percentual salta para 73,2%. No mesmo período do ano passado, a média geral da renda comprometida estava em 28,2%.

 

Período do ano não é favorável para o consumo

O posicionamento da Fecomércio-MT quanto a diminuição no número de endividamos se deve ao fato do período ser de menor movimento no comércio. O ritmo tende a diminuir até o final do ano, período em que o comércio volta a se reaquecer.

 

A entidade reforça ainda que a retomada na geração de emprego contribui para a quitação de dívidas das famílias. Segundo dados do Caged/MTE, Mato Grosso somou nos últimos 13 meses pouco mais de 20 mil novas vagas de trabalho. Somente na capital do Estado, foram 1,4 mil empregos gerados no intervalo de um ano.

Twitter



Edição 139 julho de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.