PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Domingo, 09 de Junho de 2019, 08h:05
Tamanho do texto A - A+
ECONOMIA
NOVO Twitter

Para reativar a economia, Rússia lança plano de estímulo que prevê até compra de 900 pianos

Por: Redação

MOSCOU - Mesmo que a Rússia tenha se voltado politicamente ao cenário mundial, sua economia sofre com um crescimento baixo e uma renda cada vez menor. O presidente Vladimir Putin tem um plano para mudar isso - e envolve pianos.

Autoridades do Kremlin vão promover um novo plano de estímulo de US $ 400 bilhões para seis anos, cobrindo uma dúzia de setores da economia. Há alguns esforços clássicos de grandes gastos, como construir estradas e aeroportos. E, a partir daí, o plano é criativo.

 

REPRODUÇÃO

RUSSIA

 

O projeto prevê a compra de 900 pianos, a construção de 50 pistas de gelo cobertas e a publicação de 200 artigos de cientistas russos sobre genética em jornais de primeira linha até 2024.

 

Os críticos dizem que o plano é um passo atrás e que vai expandir o papel do Estado nas decisões econômicas, descendo até o nível de compras das escolas de música clássica. Eles o comparam ao Gosplan, modelo econômico da era soviética, e ocorre poucos meses depois que empresários russos foram instruídos a apoiarem o Estado e aumentarem os investimentos de capital. É também outro esforço da Rússia em contornar as sanções americanas e europeias.

 

A expectativa é de que as medidas ajudarão a sociedade russa, reduzirão a pobreza pela metade e aumentarão a expectativa de vida média de 73 para 78 anos.

 

O ministro da economia da Rússia, Maksim S. Oreshkin, zombou das comparações com o planejamento da era soviética e disse que o novo esforço foi inovador e boa política.

 

- Nós estabelecemos metas muito ambiciosas - disse Oreshkin. - O crescimento econômico é apenas um deles. Nós definimos muitos outros que afetarão diretamente a qualidade de vida das pessoas.

Este é o mais recente capítulo das inúmeras reviravoltas da economia russa pós-soviética. Na última década, o Kremlin vem tentando colocar as finanças em ordem, mesmo com a queda dos preços do petróleo e com sanções impostas pela União Europeia a setores energéticos, de defesa e bancos russos  por causa de sua posição no conflito com a Ucrânia.

 

Como precaução contra futuras sanções, a Rússia gerou um superávit orçamentário e usou o suprimento de petróleo como salvaguarda.

 

 Por lei, por exemplo, quando o petróleo custa mais de US $ 40 por barril, os impostos gerados em todas as receitas acima desse nível devem ser economizados em fundos soberanos, em vez de gastos com, digamos, salários de professores ou do exército.

 

A Rússia tem agora quase US $ 500 bilhões em reservas, uma proteção que ajudará a proteger o orçamento federal de futuras sanções ou uma queda no preço do petróleo. Mas economistas dizem que o esforço se traduziu em um crescimento econômico miserável porque retirou dinheiro da economia. Até agora, este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) expandiu-se a uma taxa de 0,5%, enquanto a renda real disponível caiu 2,3%.

Projetos Nacionais é um plano, como outros nos últimos seis meses, para mudar a ênfase da demanda do consumidor para o investimento liderado pelo Estado como fonte de crescimento. Até mesmo uma versão resumida de 110 páginas é carregada de números impressionantes.

 

Ele estipula o papel do Estado em alcançar os objetivos com precisão. Ele diz, por exemplo, que o número de russos que pratica regularmente esportes deve subir de 36,8% para 55% até 2024.

 

O ministro da economia vê essas minúcias como úteis.

 

- As tarefas diante de nós são objetivas e corretas - disse Oreshkin. - Conseguimos uma compreensão mais profunda de como as metas do nível micro formam os números gerais.

 

Oreshkin disse que o efeito do estímulo deve entrar em vigor no final deste ano, elevando o crescimento econômico anual para 3,1% já em 2021. A Rússia continua comprometida em atrair investimentos privados também, disse ele, e o governo tem “todo um complexo de medidas para melhorar o clima de investimento”.

 

No entanto, Oreshkin disse que pode haver um problema: as guerras comerciais dos EUA com a China, México e outros países poderiam desacelerar a economia global, prejudicando a Rússia também.

 

Economistas independentes estão se perguntando como as metas do plano serão atingidas. A Rússia elevou seu imposto sobre valor agregado este ano, e economistas questionaram como isso vai criar crescimento, já que os impostos foram elevados antes do início dos gastos com estímulo do Estado.

"Comparado com o Ocidente, comparado com os Estados Unidos, Reino Unido ou França, o governo russo tem o poder de pressionar a classe média e os pobres muito além dos limites do que podemos imaginar", disse Kenneth Rogoff, professor de economia e política pública em Harvard.

 

- Eles têm um modelo que é realmente um exemplo clássico da maldição dos recursos naturais, quando o Estado não precisa desenvolver uma classe média para se sustentar, apoiar os militares e apoiar a elite -  disse ele.

 

Twitter

PUBLICIDADE



Edição 196 Setembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados