PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019, 14h:25
Tamanho do texto A - A+
ESPORTE
PARALIMPÍADAS Twitter

Alessandro da Silva leva o ouro no Mundial de Atletismo Paralímpico e abre o dia para o Brasil

Por: Globo esporte

CPB

ALESSANDRO

 

Alessandro da Silva abriu a quarta-feira do Mundial de Atletismo Paralímpico com a bandeira verde e amarela no alto do pódio. O atleta conseguiu a marca de 46m10 e ficou com a medalha de ouro no lançamento de disco F11 - para deficientes visuais. Em mais um dia de competições em Dubai, nos Emirados Árabes, o Brasil somou mais oito medalhas. Agora, são 33 no total.

 

Lucas Prado e João Victor Teixeira também brilharam em suas provas. Na final dos 100m T11, para deficientes visuais, Lucas correu para o tempo de 10s95. Além da medalha de ouro, ele garantiu o recorde do competição, que era de 11s02 e pertencia a ele mesmo. Ainda nos 100m T11, Felipe Gomes levou o bronze ao fazer 11s14. João Victor, por sua vez, fez uma prova de recuperação. Estava fora do pódio, mas conseguiu na última tentativa a marca de 52m76 e ficou com o primeiro lugar no lançamento de disco final F37 - para atletas com paralisia cerebral.

 

- Quem tem paralisia cerebral sabe como é difícil alcançar o último lançamento. Fiz a minha melhor marca, que é recorde brasileiro. Eu estou doidinho, muito feliz - disse João Victor Teixeira, logo após a confirmação da sua vitória.

 

Vitor de Jesus ficou com a medalha de prata final dos 200m T37 - para atletas com paralisa cerebral. Foi a primeira vez na carreira que ele correu abaixo dos 24s. Vitor anotou o tempo de 22s77. Outro brasileiro na prova, Christian da Costa ficou na 5ª colocação ao fazer 23s10. Nos 100m T36 - para atletas com paralisa cerebral, Táscitha Cruz garantiu a medalha de bronze. Ela fez o tempo de 14s38.

 

Três brasileiras correram a final dos 200m T11 - para deficientes visuais. Thalita Simplicio levou a medalha de prata e e Lorena Spoladore, o bronze. Elas fizeram 24s92 e 25s62, respectivamente. Jerusa Geber foi desclassificada, pois o cotovelo do atleta-guia estava empurrando o seu braço do meio da curva até a entrada da reta. A medalh de ouro ficou com a chinesa Cuiqing Liu, com o tempo de 24s89.

 

Verônica Hipólito fez o tempo de 13s93 na final dos 100m T37 - para atletas com paralisa cerebral. Ela em 7º lugar e comemorou bastante o resultado. Após um período longo e difícil de recuperação com a retirada de um tumor no cérebro, a brasileiro contou em entrevista pós-prova que já era uma vitória estar ali. Na decisão dos 200m T47, para atletas amputados membro superior, Fernanda Yara terminou na 8ª colocação com o tempo de 26s68.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 207 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados