PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sexta-Feira, 06 de Setembro de 2019, 09h:30
Tamanho do texto A - A+
ESPORTE
BASQUETE Twitter

Caipirinha, churrasco e portunhol afiado: 5 fatos que provam que Petrovic é brasileiro e não croata

Por: Globo esporte

REPRODUÇÃO

BASQUETE

 

Esqueça o estereótipo do europeu frio. Aleksandar Petrovic é croata, mas bem que poderia ser brasileiro. Há pouco mais de dois anos no comando do Brasil, o técnico reacendeu a chama da modalidade no país, trouxe o respeito de volta e colocou a equipe na segunda fase da Copa do Mundo. Carinhoso, brincalhão e dono de um portunhol arrastado, ele também é fã de caipirinha e churrasco e se apaixonou por Campinas, onde mora quando está no Brasil.

 

Admirado no mundo inteiro, o "coach" conquistou também a equipe com o seu jeitão, e o GloboEsporte.com explica melhor quem é o cara que em tão pouco tempo e com recursos limitados, num momento de reorganização da CBB após a punição da Fiba, recolocou o país entre as seleções a serem batidas em uma Copa do Mundo depois de uma Olimpíada terrível e com eliminação na primeira fase.

 

Petrovic, por exemplo, fez questão de pagar um jantar para toda a comissão técnica, ainda em Goiás, no começo da preparação. Tirou do bolso para agradecer aos jogadores e staff a oportunidade de dirigir o Brasil em uma Copa do Mundo.

 

- Os croatas são como os brasileiros. Também somos um povo divertido e brincalhão. Quando você chega em uma idade da vida e está com a vida equilibrada, dinheiro não é mais o mais importante e sim o desafio, o que te move a fazer alguma coisa. E por isso estou no Brasil. Nunca foi pelo dinheiro - contou o técnico.

 

1 - Beijo em Varejão e carinho com atletas

Petrovic é o oposto do estereótipo europeu. Aquele ar contido, de sobriedade, não existe. O croata é passional, dá carinho aos jogadores e brinca bastante. Quando necessário, claro, sabe ser durão. Mas o jeitão de Aleksandar conquistou seus comandados. Um dos exemplos disso foi o beijo do treinador em Anderson Varejão após o duelo contra a Grécia, no fim da coletiva de imprensa. A cena viralizou no Brasil e Petrovic fez seu pivô cair na risada, envergonhado.

 

2 - Pensa com o coração

Petrovic é um dos técnicos mais respeitados da Europa. É um dos poucos treinadores do mundo que tem no currículo Olimpíada, Copa do Mundo e Euroliga. Depois de deixar a seleção da Croácia, após a derrota nas quartas de final da Rio 2016, recebeu boas propostas para treinar equipes e até seleções. Uma delas, com o valor contratual de cerca de 1 milhão de euros por ano. Petrovic, contudo, aceitou o desafio de dirigir o Brasil por muito menos. Ele recebe R$ 21 mil através do COB e tem outra parte do salário, quase no mesmo valor, pagas pela CBB. O passional Petrovic abriu mão de dinheiro pelo desafio no Brasil.

 

3 - Portunhol arrastado

Desde que chegou ao Brasil, Petrovic se esforçou para falar o português. Algumas palavras ainda fogem, e ele até paralisa a entrevista para aumentar seu vocabulário. Essa facilidade para se comunicar vem dos tempos de jogador e também do início da carreira como técnico. Como atleta, Petrovic passou pelo Victoria Libertas entre 1987 e 1988. E depois, já como treinador, comandou o Sevilha de 1995 a 1997.

 

4 - Fã de caipirinha

Petrovic não tem tanto tempo livre quando está no Brasil. Normalmente, viaja para o país para os treinos e para os jogos. Mas já arrumou tempo para conhecer um pouco da cultura do país. O croata se apaixonou pela caipirinha e também é fã de churrasco. E convenhamos, qual brasileiro não aprecia um desses dois ou a combinação de ambos?

 

5 - Apaixonado por Campinas

Hoje, a CBB não tem condições de manter Aleksandar Petrovic morando no Brasil. Assim, o treinador passa boa parte do ano na Croácia e vem ao país durante os períodos de treinos e jogos da seleção. Porém, se engana quem pensa que Petrovic recorre a capital de São Paulo ou ao Rio de Janeiro enquanto está no Brasil. Ele gostou mesmo e se apaixonou foi por Campinas. Por lá, já conhece vizinhos, o dono da padaria, do barzinho ao lado do apartamento onde fica. E também não sofre com o trânsito, conseguindo se deslocar fácil de um lado para o outro.

 

Com três vitórias até aqui na Copa do Mundo, o Brasil volta à quadra neste sábado, já na cidade Shenzhen, para a estreia da segunda fase, diante da República Tcheca (5h30). O Grupo K ainda conta com Estados Unidos e Grécia. Na segunda-feira, a seleção encara os americanos (9h30). E, caso americanos vençam os gregos no sábado e o Brasil triunfe sobre os tchecos, estará classificada para as quartas de final do torneio. O SporTV 2 transmite os jogos ao vivo!

 

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 196 Setembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados