PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 09h:44
Tamanho do texto A - A+
ESPORTE
NA FORÇA DO ELENCO Twitter

Corinthians faz seu melhor jogo na Copa do Brasil e evolui em momento de definições

Por: Marcelo Braga — São Paulo

 

O ano realmente começa depois do Carnaval.

 

Num intervalo de quatro dias neste mês de março, o Corinthians mostrou duas grandes exibições na temporada. Provavelmente as suas melhores.

 

Primeiro, no empate sem gols contra o Santos, pelo Paulistão, em partida que o técnico Fábio Carille considera a melhor de 2019 – em que o gol foi um detalhe faltante. Três dias depois, num campo pesado, o Timão venceu o até então invicto Ceará por 3 a 1, com gols feitos em jogadas construídas, e sofrendo um de pênalti. São oito jogos sem derrotas, com quatro vitórias e quatro empates

 

Curiosamente, as partidas aconteceram num momento em que o técnico Fábio Carille perdeu o seu melhor jogador de 2019: Gustagol, autor de sete gols, que não atuou nas duas partidas por dores no joelho esquerdo. A ausência, antes preocupante, foi bem remediada com as peças do elenco.

 

Na boa atuação em Fortaleza, o Timão foi a campo com o seu já consolidado 4-3-3, desta vez com Vagner Love pela direita, já que Pedrinho foi preservado por dores no ombro. Defensivamente, a equipe se virou bem, beneficiando-se dos erros do Ceará, e Cássio foi seguro quando exigido.

 

Ofensivamente, o time teve profundidade com Clayson, muita entrega por parte dos demais atletas e construiu duas jogadas de gols em cruzamentos: o primeiro, de Júnior Urso após escorada de Boselli, e o terceiro, de Jadson, após cruzamento perfeito de Danilo Avelar.

 

Já o segundo gol foi uma pintura: passe de trivela de Sornoza, e chute no ângulo de Vagner Love.

 

O terceiro gol, aliás, vale maior detalhamento. Antes de a bola chegar nos pés de Jadson, a equipe trocou 26 passes desde o campo de defesa, algo já visto em outras equipes vencedoras de Fábio Carille. Um sinal de maturidade, tranquilidade e movimentação acertada dos atletas.

 

Foi a melhor partida do Timão na competição. Na primeira fase, um empate frustrante por 2 a 2 com o Ferroviário-CE num jogo em Londrina, em ambiente completamente favorável. A vaga veio graças ao regulamento. Na segunda fase, dentro da Arena, o time saiu perdendo por 2 a 0 para o pouco conhecido Avenida-RS e, no sufoco, encontrou forças para virar o jogo para 4 a 2.

 

Agora, sem sofrimentos, o Corinthians conseguiu se impor na Arena Castelão diante de um bom time do Ceará, que ainda não havia perdido jogos oficiais. Tudo pela força do elenco. Sem Pedrinho, Vagner Love foi eficaz. Do banco, Carille soube enxergar a oscilação do time, colocou Ramiro para fechar o lado e centralizou Love: em instantes, o segundo gol alvinegro nasceu com o atacante.

 

A estrela de Carille voltou a brilhar na mudança de Sornoza por Jadson, já que o camisa 10 também deixou a sua marca. E num cruzamento de Danilo Avelar, que deixou de ser criticado já há algumas rodadas e vem fazendo grandes partidas. O elenco corintiano é numeroso e vai se encaixando.

 

Talvez o que ainda deixe dúvidas no torcedor seja a dupla de zaga formada por Henrique e Manoel – o camisa 4 fez o pênalti em Luiz Otávio, que empatou a partida. Carille, porém, parece ter confiança nos dois atletas. E já são dois jogos inteiros sem gols sofridos em bolas cruzadas. O que, nesta temporada, é bastante tempo.

 

A duas rodadas da entrada nas quartas de final do Paulistão, o Corinthians mostra uma boa cara.

 

Ainda não está 100% pronto, mas passou em todos os testes a que foi submetido. Venceu Palmeiras e São Paulo, empatou com o Santos jogando melhor, eliminou o Racing na Sul-Americana e, agora, deu bom passo para a classificação na Copa do Brasil. Agora, é momento de consolidação.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 179 Maio de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados