PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 15h:50
Tamanho do texto A - A+
ESPORTE
MUNDIAL DE CLUBES Twitter

Grêmio, River... Conmebol quer 4 campeões da Libertadores e 2 da Sul-Americana em novo Mundial

Por: Joanna de Assis e Martín Fernandez — Miami, EUA

 

A Conmebol já tem um projeto de como dividir as vagas para o novo Mundial de Clubes, anunciado pela Fifa nesta sexta-feira. A confederação deseja, inicialmente, oferecer quatro dos seis lugares no torneio aos quatro campeões da Libertadores entre 2017 e 2020. Desta forma, o Grêmio, vencedor em 2017, e o River Plate, que triunfou em 2018, já teriam vaga garantida.

 

As outras duas vagas ficariam com dois campeões da Copa Sul-Americana. Para chegar a estes escolhidos, os quatro vencedores do torneio no mesmo período disputariam um playoff, valendo dois postos no Mundial. A princípio, o campeão de 2017 enfrentaria o de 2020, e o vencedor de 2018 disputaria com o de 2019. As partidas seriam realizadas em jogos únicos e em campo neutro.

 

A Conmebol fará uma reunião para discutir a divisão na próxima semana - na segunda ou terça-feira. Ali, os dirigentes discutirão formato e sanariam questões como encontrar uma solução em caso de um bicampeonato de uma equipe na Libertadores.

 

Ameaça de boicote dos europeus 

Do outro lado do Atlântico, o novo formato deixou insatisfeitos os principal clubes do continente. Horas antes do anúncio da Fifa, enquanto membros do conselho ainda estavam reunidos, os gigantes europeus fizeram uma ameaça oficial e boicote à nova competição. A Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês) afirmou por meio de carta para a Fifa que iria boicotar o torneio, por ser "frontalmente contra a aprovação" do novo formato e que "nenhum membro do ECA vai disputar essa competição".

 

O documento está assinado por representantes de 15 dos maiores clubes da Europa, incluindo Juventus, Real Madrid, Ajax, PSG, Barcelona, Bayern de Munique, Manchester United e Benfica. Trata-se de mais uma batalha na guerra entre a Fifa e os grandes clubes europeus, que também se opuseram ao aumento do número de participantes da Copa do Mundo para 48 seleções -- mas foram derrotados.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 170 Março de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados