ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 12 de Abril de 2018, 14h:01
Tamanho do texto A - A+
Twitter
VAIAS PARA LUCAS LIMA E BORJA

Keno marca aos 44, mas Tevez empata e Palmeiras sai vaiado

Por: Gazeta Esportiva

Reprodução: Fernando Dantas/Gazeta Press

Tevez

Tevez é um algoz do clube paulista, o argentino nunca perdeu para o Verdão

No primeiro jogo após o Derby do Campeonato Paulista, o Palmeiras tentou deixar de lado todas as polêmicas, mas não conseguiu mostrar um bom futebol nesta quarta-feira e, mesmo marcando com Keno aos 44 minutos do segundo tempo, sofreu o empate do Boca Juniors em gol de Tevez, aos 46, pela Copa Libertadores, no Allianz Parque. Antes, a impaciência dos 37.192 presentes foi aparecendo aos poucos, resultou em vaias para Lucas Lima e Borja, e ao apito final, para todo o time.

 

Antes de a bola rolar, a torcida fez questão de separar a partida desta noite do que aconteceu no último final de semana: “Federação, vai se f…., o meu Palmeiras não precisa de você”. Em campo, porém, (a falta de) futebol do time pouco mudou.

 

As duas equipes vieram para o primeiro tempo com esquemas táticos e propostas de jogo muito parecidas. O Palmeiras no 4-2-3-1 se postava quase igual ao 4-1-2-3 do Boca Juniors, e ambos defendiam quase a partir do meio-campo, com suas formações compactas e bom postadas. Resultado: ninguém jogou na primeira etapa.

 

No Verdão, o principal problema foi a enorme quantidade de passes errados. No quesito, Keno foi o destaque negativo, mas até Felipe Melo e Jailson erraram toques. Além disso, a improdutividade de Lucas Lima e os consecutivos erros de Borja, tanto para fazer o pivô, quanto para dominar a bola, também prejudicaram.

 

Na reta final do primeiro tempo, Roger Machado inverteu o posicionamento de Keno e Dudu. Com o capitão na esquerda, surgiu a única chance de gol, já no final dos primeiros 45 minutos, quando o camisa 7 virou o jogo para Lucas Lima, que chegou sozinho, mas quis finalizar de primeira e mandou fraco para fora.

 

Para a etapa final, pouco mudou e, com apenas 11 minutos, Roger sacou Borja e colocou Willian, que passou ao comando de ataque alviverde. O colombiano deixou o campo sob algumas vaias, mas nada próximo às ouvidas por Lucas Lima, que saiu para a entrada de Moisés pouco depois.

 

A partir da metade final do segundo tempo, o jogo ganhou em emoção e ficou mais aberto. O Boca, que atacava com oito, e sem a bola deixava apenas Ábila na frente, foi tendo dificuldades físicas em manter seu esquema de jogo. Isso, aliado às mudanças de Roger Machado, permitiram que o Palmeiras ganhasse presença ofensiva.

 

A melhora palestrina resultou em chances criadas pela equipe, especialmente com a participação de Keno, que subiu de produção na etapa final. Entretanto, o Verdão pecou nas finalizações de fora da área, e na falta dela, em jogada que Willian poderia ter rolado para Moisés.

 

Com Keno, o mais lúcido dos últimos 45 minutos, o gol do Palmeiras saiu aos 44. Jara furou na saída de bola, Guerra atacou pela esquerda e cruzou de três dedos para o camisa 11 completar de primeira para as redes.

 

O Allianz Parque veio abaixo com o tento, mas a festa durou menos de três minutos. No primeiro ataque xeneize, Antônio Carlos voltou a falhar feio, furou, e Pavón levou para a linha de fundo. O atacante cruzou na área e Tevez desviou para as redes. Depois disso, houve tempo apenas para as vaias das arquibancadas ao apito final.

Twitter



Edição Especial de Natal 162 Dezembro de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.