PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 09h:24
Tamanho do texto A - A+
FICA ESPERTO
CONFIRA Twitter

Carne vermelha é saudável e saber sua origem é fundamental, alerta médico

Por: Redação

Primeiro foram os carboidratos. Depois, as proteínas. De repente, os principais ingredientes que formam o tradicional prato dos brasileiros passaram de mocinhos a bandidos. Mas, afinal, arroz, feijão e carne fazem mal?

 

Assessoria

DICAS

 

Médico com formação em Cirurgia Vascular e especialista em Nutrologia, Wilson Rondó Jr. alerta que não é bem assim. Ao menos quando o tema é a carne vermelha. Com oito livros publicados, entre ele “Sinal Verde para a Carne Vermelha”, o profissional afirma que é importante manter a proteína no dia a dia e, mais importante ainda, saber sua origem.

 

“Quando vemos estudos ou pesquisas sobre os malefícios da carne vermelha, é sempre com gado confinado, que é um animal estressado, que come uma ração que não deveria ser seu alimento principal, que está em um ambiente que não é o dele, em um lugar apertado. Todos esses fatores somados levam a uma perda proporcional da qualidade da carne. Por outro lado, é bom lembrar que no Brasil ainda temos grandes áreas de gado criado a pasto e, a pastagem, é rica em ômega 3, que é uma gordura poli-insaturada, reconhecidamente benéfica para proteção da saúde cardiovascular e cerebral”, afirma Rondó Jr.

 

É o caso do Taurino Tropical, um melhoramento genético realizado na fazenda do pecuarista José Neves, de Diamantino, no Oeste de Mato Grosso. Esta melhora genética é advinda da raça Caracu, que é 100% nacional. No Estado, o Taurino Tropical é comercializado exclusivamente no restaurante Urus Steakhouse. “Nosso gado é criado 100% a pasto e percebemos a diferença de sabor, maciez e qualidade”, define o empresário Jean Clini, a frente do restaurante.

 

E a carne branca? – O médico Wilson Rondó Jr. também alerta que, além de parar de colocar a carne vermelha no panteão dos vilões, é preciso olhar para outras proteínas de forma mais atenta.

 

“Se formos falar no salmão, por exemplo, é preciso entender que esses peixes hoje são criados em cativeiros e ingerem ração, que contém ômega 6. Diferentemente do ômega 3, em excesso, o ômega 6 é pró-inflamatório. O mesmo ocorre com frango ou porco. A não ser que esses animais sejam criados soltos, pastoreando e, no caso dos salmões, sejam de águas profundas do oceano, essas proteínas podem ser menos saudáveis que a carne vermelha de gado criado à pasto”, afirma o médico.

 

Rondó Jr. ainda completa que, enquanto brasileiros, é preciso começar a entender os produtos à mesa e valorizá-los. “Nossa carne vermelha é um desejo de consumo no mundo inteiro e, aqui, por vezes é mal valorizada. O que lá fora é vendido em boutiques de carne, aqui temos em restaurantes e açougues. Precisamos aprender a valorizar o que temos de melhor”, completa.

 

Urus Steakhouse – O Urus Steakhouse abriu as portas, juntamente com seu açougue, o Butcher Shop, no dia 31 de março de 2019. O restaurante conta com carnes premium e o açougue, além de vender estes cortes especiais, conta também com opções de cortes populares. Saiba mais: urussteakhouse.com.br/ e instagram.com/urussteakhouse. E conheça também mais livros do médico Wilson Rondó Jr.: https://www.drrondo.com/dr-rondo/livros/

Twitter

PUBLICIDADE



Edição 196 Setembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados