logo
Igreja Batista Getsemâni

Mutirões de consultas e exames do CEM deram celeridade às filas de espera da Regulação

Redação

 

Mais de 8 mil pessoas que aguardavam por consultas e exames nas filas da Central de Regulação foram chamadas para atendimento neste ano, graças aos mutirões mensais, que aconteceram no Centro de Especialidades Médicas – CEM ao longo de 2019. Foram realizados dez mutirões, entre os meses de fevereiro e novembro, para desafogar a fila e dar mais celeridade aos atendimentos.

 

Segundo o secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, pessoas do estado inteiro foram chamados para participar dos mutirões, que ofertaram várias especialidades médicas a cada edição. Foram atendidas pessoas que aguardavam consultas e/ou exames em ortopedia, oftalmologia, ultrassonografia, ginecologia, endocrinologia, otorrinolaringologia, urologia, dermatologia, gastrologia, cardiologia, cirurgia pediátrica, pequenas cirurgias, cirurgia vascular, pneumologia, nefrologia, ultrassom, videolaringoscopia.

 

“Estes mutirões têm sido mecanismos eficazes para diminuir o tempo dos pacientes na fila de espera da Central de Regulação. Os resultados que estamos alcançando com esses mutirões tem sido muito bons. Conseguimos atender pacientes que estavam aguardando há anos por consultas. Queremos que a população veja que toda a equipe da saúde do Município está comprometida em transformar a saúde pública em um serviço de excelência, e o objetivo é conseguir atender a todos no menor tempo possível e com muita qualidade”, comentou o secretário.

 

Apesar dos bons resultados, a Secretaria Municipal de Saúde ainda enfrenta um grande obstáculo: o absenteísmo. “Antes da realização de um mutirão de consultas e exames, a equipe da Regulação entra em contato com as pessoas que estão na fila para ver se o paciente realmente quer o atendimento. Apenas as pessoas que sinalizam que querem ser atendidas são marcadas. Este anos marcamos 8.129 atendimentos nos mutirões, mas deste número compareceram um total de 5.487 pacientes. Tivemos 32% de pessoas que faltaram e que acabaram tirando o lugar de outras que poderiam ter ido. Por isso pedimos aos pacientes que, ao  confirmar a presença, não deixe de ir, pois há muitas pessoas que ainda aguardam para serem atendidos”, explicou Pôssas.

 

Para o secretário, a meta agora é diminuir ainda mais o tempo de espera nas filas da Regulação. “Estamos trabalhando arduamente para redesenhar a rede de atendimento e, com isso, reduzirmos para no máximo 90 dias de espera que é o período digno de promoção e diagnóstico de saúde”, finalizou.


Fonte: Notícia Max

Visite o website: www.noticiamax.com.br