PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sábado, 20 de Abril de 2019, 14h:53
Tamanho do texto A - A+
INTERNACIONAL
Twitter

'Coletes amarelos' fazem o 23º protesto seguido na França

Por: G1

 

Os "coletes amarelos" fizeram o 23º protesto seguido neste sábado (20) na França. As autoridades francesas ordenaram um grande destacamento policial, especialmente em Paris. A polícia lançou bombas de gás lacrimogênio para conter os manifestantes.

 

Segundo a agência de notícias francesas, RFI foram realizadas mais de 227 prisões e 11 mil revistas preventivas. O protesto reuniu pelo menos 27.900 pessoas em várias cidades do país, segundo balanço divulgado pelo Ministério do Interior às 19h (14h em Brasília). Em Paris, duas passeatas contaram com 9.000 manifestantes.

 

Os coletes amarelos colocaram fogo em vários pontos da cidade e entraram em confronto com a polícia.

 

As autoridades proibiram manifestações na Avenida Champs Elysées, como vem ocorrendo nas últimas semanas, e desta vez também havia um perímetro de segurança em torno da Catedral de Notre-Dame, que pegou fogo esta semana.

 

A polícia impôs uma proibição de manifestações para a ilha fluvial Île de la Cité, onde se encontra a catedral, e para a margem esquerda adjacente do Sena. Por razões de segurança e para proteger a igreja danificada, nenhum protesto deveria ocorrer dentro das barreiras de segurança.

 

Dezenas de manifestantes de capa preta atiraram pedras na polícia e alguns atearam fogo em motocicletas no centro da cidade. Latas de lixo também foram incendiadas.

 

A polícia respondeu disparando gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral. Alguns oficiais também marcharam em direção a manifestantes para encaminhá-los para a Place de la Republique, onde foram autorizados a se manifestar.

 

Manifestantes aludiram claramente ao incêndio na catedral de Notre-Dame, na segunda-feira, que provocou uma onda de tristeza nacional e uma corrida de famílias e empresas para prometer cerca de 1 bilhão de euros para sua reconstrução.

 

"Milhões para Notre-Dame, e para nós, os pobres?", "Tudo para Notre-Dame, nada para os miseráveis" e "Somos todas as catedrais", diziam cartazes de manifestantes.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 192 Agosto de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados