PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 24 de Outubro de 2019, 08h:48
Tamanho do texto A - A+
INTERNACIONAL
MANIFESTANTES Twitter

Professores em greve tomam as ruas de Chicago, nos EUA

Por: G1

Teresa Crawford

PROFESSORES

 

Milhares de professores em greve ocuparam as ruas do centro de Chicago, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (23) em protesto por melhores condições de trabalho, como redução no número de alunos em sala de aula e mais contratações de funcionários de apoio.

 

A categoria paralisou as aulas pelo quinto dia letivo consecutivo. Com isso, cerca de 300 mil estudantes ficaram fora das escolas públicas de Chicago, uma das maiores cidades norte-americanas. A greve deve continuar nesta quinta-feira.

 

Segundo reportagem da agência Reuters, os professores interromperam as aulas após as negociações com a prefeitura não surtirem efeito. Entre as reivindicações, estão melhores salários e aumento no número de servidores – principalmente enfermeiros e assistentes sociais.

 

"As crianças só querem aprender e não temos recursos para ensiná-las", disse à Reuters a professora Christina Morales.

Nos protestos, os manifestantes empunharam bandeiras com palavras de ordem e usaram apitos e tambores para fazer barulho. O protesto parou o centro de Chicago, o que irritou motoristas.

 

O grupo marchou até a prefeitura de Chicago, onde a prefeita Lori Lightfoot anunciaria a previsão orçamentária da cidade.

 

Greve em Chicago

 

Professores de diversas localidades têm protestado contra falta de investimento público nas escolas. Em Chicago, a greve tomou proporções maiores, com protestos diários. A pré-candidata democrata à Presidência dos EUA Elizabeth Warren participou dos protestos na terça-feira.

 

Eleita em abril, a prefeita de Chicago, Lori Lightfoot, alega que o distrito ofereceu aumento de 16% aos professores por cinco anos e prometeu verificar as condições de trabalho nas unidades de ensino. No entanto, ela afirma que o orçamento da cidade não poderia cumprir com todas as demandas do sindicato, que custariam US$ 2,4 bi a mais por ano ao orçamento da educação.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 207 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados