ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 21 de Dezembro de 2017, 17h:08
Tamanho do texto A - A+
Twitter

Sorriso e autoestima

Por: Ernani Caporossi

ERNANI CAPOROSSI

ERNANI CAPOROSSI, especialista em dentística restauradora e prótese dental e MBA em Gestão em Saúde, é membro fundador da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), membro da Sociedade Brasileira de Reabilitação Oral (SBOE) e da Academia Brasileira de Osseointegração (Abross). Há 31 anos, atende em Cuiabá.

A crescente valorização da estética corporal (e do sorriso), pela sociedade ocidental contemporânea, tem sido benéfica para a odontologia, em especial a brasileira. Tanto no campo profissional quanto tecnológico.

 

O país é referência mundial em tratamento odontológico neste século XXI e responde por cerca de 20% dos dentistas em atividade em todo o planeta.

 

São mais de 200 mil profissionais trabalhando diariamente para manter em alta o sorriso e a autoestima do brasileiro.

 

O avanço tecnológico é constante. Inimagináveis há 30 anos, quando as restaurações se adaptavam mal à estrutura dentária remanescente - motivo de agonia para boa parte dos  profissionais - novos materiais e novas técnicas são parte do cotidiano dos consultórios.     

 

O surgimento de novas resinas compostas e cerâmicas permite não apenas devolver aos dentes suas características básicas, sem alterar sua estrutura, como praticar uma odontologia conservadora, cuja prioridade é manter a vitalidade, a função e a estética do dente. 

 

Não invasivo ou minimamente invasivo, o tratamento conservador, quando realizado de forma criteriosa, mantém ainda a sensibilidade do dente e evita sua destruição pela cárie em caso de nova contaminação.

 

Em resumo, a odontologia conservadora tem como finalidade o estudo e a aplicação de procedimentos educativos, preventivos, operatórios e terapêuticos como forma de preservar e devolver ao dente sua integridade anatômica, funcional e estética.  

 

Outro grande avanço é a utilização da fotografia na odontologia, em especial a estética.

 

Atualmente, é praticamente impossível iniciar um tratamento sem ela. Seu uso facilita a comunicação entre o dentista e o paciente, ao mostrar uma situação real, e, simultaneamente, permitir uma simulação do resultado. Isto é, o paciente fica sabendo, de antemão, como ficará após o tratamento.    

 

Aliar estes dois fatores (novos materiais e novas técnicas) a um planejamento correto é sinônimo de sucesso no tratamento.

 

Entre outros requisitos fundamentais, a prática restauradora começa por uma boa anamnese, check-up radiográfico, análise fotográfica, avaliação das características do sorriso e uso de softwares capazes de delinear um sorriso mais harmônico.

 

É sempre bom lembrar que, embora a estética seja, quase sempre, a principal preocupação de quem atualmente procura um dentista, o fato é que a perda de um dente é maléfica a qualquer pessoa.

 

Inflamação da gengiva, perda óssea, movimentação e dificuldade de mastigar, incluindo má digestão, dores de cabeças e prováveis infecções, são alguns dos males resultantes de uma saúde bucal precária. 

 

Portanto, o cuidado com a saúde bucal é fundamental. Ao cuidar da higiene da boca é possível evitar cáries e doenças periodontais, como inflamação e infecção dos ligamentos e ossos que dão suporte aos dentes.

 

A odontologia, em especial a estética, exige, além de planejamento e constante capacitação, muita dedicação profissional, o que pode ser traduzido por paixão.

 

Paixão pela carreira escolhida e para a qual se trabalha e vive.  

 

 

 

ERNANI CAPOROSSI, especialista em dentística restauradora e prótese dental e MBA em Gestão em Saúde, é membro fundador da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), membro da Sociedade Brasileira de Reabilitação Oral (SBOE) e da Academia Brasileira de Osseointegração (Abross). Há 31 anos, atende em Cuiabá.   

 

Twitter



Edição 152 Outubro de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.