PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019, 16h:35
Tamanho do texto A - A+
WILSON PIRES
Twitter

Oxente... Agora vai!

 

Era sempre assim, quando o apaixonado maestro da ”Fervorosa” Banda de música municipal de Várzea Grande dizia por onde passava nos corredores do Paço Municipal Couto Magalhães.

 

E foi. A música perdeu há 17 anos, precisamente em 19 de maio de 2.002, um dos mais apaixonados, ou talvez o “último romântico”, como bem definiu um admirador.

 

Vítima de enfarte fulminante, aos 66 anos, o maestro Manoel Teixeira deixou órfã a então Banda Municipal de Música da Cidade Industrial. Teixeira como era conhecido, dedicou com todo amor e energia os últimos anos de sua vida a Banda da Vajú e deixou um profundo vazio no coração dos amantes da boa música. 

 

“La mer, Sonho de Verão, Meu Velho, Amigos para Sempre...”. Quem viveu os áureos tempos da Bandinha Municipal, com certeza se emocionou pelo menos um instante com as músicas preferidas do maestro Teixeira.

 

BANDA

 

Fundada em 26 de março de 1984, por meio do Decreto nº 013/84, teve como seu primeiro regente o músico e advogado Iran Fernandes.

 

O repertório era bastante variado, tocava dobrados, Rasqueados, Chamamé, melodias marciais, marchas, MPB, músicas do folclore e muitos outros ritmos animados que agradava o público.

 

A Banda Maestro Teixeira, nome dado conforme Lei aprovada pela Câmara Municipal, após a morte do irreverente Maestro Manoel Teixeira, estava sempre presente nas principais solenidades cívicas e eventos culturais.

 

Em todas as cerimônias da Prefeitura, ou nos desfiles de 15 de maio ou 7 de setembro, lá estava o “Teixeirinha” e sua Banda à frente do pelotão da Guarda Municipal com a batuta erguida, regendo com ouvidos atentos para aferir de cada instrumento a mais pura e bela sonoridade.

 

Sempre alegre e otimista, o músico militar maranhense Manoel Teixeira de Oliveira, natural da cidade de Brejo, fez uma carreira brilhante nos 29 anos que morou em Mato Grosso. Comandou a Banda da Polícia Militar, atuou na Orquestra Sinfônica da UFMT e, de maneira marcante, reorganizou e sempre esteve à frente da Banda Municipal de Música de Várzea Grande.

 

Sob o seu comando, a Banda várzea-grandense ganhou notoriedade, tornou-se uma referência na área musical, sendo solicitada para apresentar inclusive em festas de outras cidades do Estado.

 

Manoel Teixeira deixou sem ver “a banda passar” a esposa Francisca Oliveira, cinco filhos, netos e muitos amigos.

 

Após a sua morte, a Banda passou nas mãos de muitos outros maestros, mas não empolgava vinda ser extinta pelo então prefeito Murilo Domingos com a justificativa que tinha que “cortar gastos”. Voltou com toda força, na administração da prefeita Lucimar Sacre de Campos e tem como regente, o maestro Uelinton.

 

Como não podia deixar de ser, “Teixeirinha” seguiu para a eternidade levando ao seu lado a inseparável clarineta preta, que o maestro tão bem soube tocá-la e com ela tocar os nossos corações.

 

Wilson Pires de Andrade é jornalista em Mato Grosso.

Twitter

PUBLICIDADE



Confira Também Nesta Seção:

INíCIO
ANTERIOR
1 de 1
PRÓXIMA
ÚLTIMA
Edição 196 Setembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados