ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 17h:45
Tamanho do texto A - A+
Twitter
OPERAÇÃO TURFE

Polícia Civil prende autores de homicídio e apreende 47 tabletes de maconha

Por: Redação

 

Dois homens suspeitos de um assassinato ocorrido em junho de 2017 foram presos pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), da Polícia Judiciária Civil, nesta quinta-feira (08.02). Na operação denominada Turfe, trabalho das equipes da DHPP, com o Núcleo de Inteligência e Grupo de Resposta Rápida de Homicídios (GRRH) mais de 47 tabletes de maconha foram apreendidos. 

Os suspeitos Ricardo dos Anjos Sobral, 21 anos, e Wilison Pinheiro da Silva Miranda, 21, tiveram mandados de prisão temporária expedidos pela 12ª Vara Criminal de Cuiabá, nas investigações do homicídio de Oscarlindo da Silva Evangelista, 37 anos. O primeiro foi preso no bairro Pedra 90 e o segundo no bairro São Sebastião, ambos na capital. 

A vítima foi assassinada com 11 tiros na cabeça e costas na noite do dia 25 de junho de 2017. Seu corpo foi encontrado em uma estrada de chão, na região de chácaras do bairro Nova Esperança II, em Cuiabá.

A delegada Juliana Chiquito Palhares, que preside os trabalhos do inquérito policial, informou que durante as investigações diversas denúncias chegaram à DHPP, apontando Ricardo dos Anjos Sobral como autor do crime, por uma rixa com a vítima Oscarlindo, que teria assassinado um comparsa de Ricardo.

As investigações apontam que o crime foi cometido com auxílio de Wilison. “Agora vamos proceder com os interrogatórios para saber quem efetuou os disparos. Mas ambos têm participação no homicídio”, disse Juliana.

Tráfico de drogas

Uma mulher, M.C.L.B.O., 29 anos, também foi presa em flagrante por associação ao tráfico de drogas. Ela é companheira de Wilison.

Na casa dos dois, os policiais encontraram 47,5 tabletes de diferentes tamanhos de maconha. A droga estava em cima do guarda-roupa embalada em saco de lixo preto, dentro de uma bolsa da mulher. “Essa droga não estava escondida e isso indica que ela tinha total conhecimento da existência”, disse a delegada, Juliana Chiquito Palhares.  

Conforme a delegada, a droga estava no quarto do filho de 4 anos da mulher, que no momento dormia sob o forte odor exalado pelo entorpecente no pequeno cômodo. Por conta disso, a mulher e o companheiro serão enquadrados no artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) - submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.

Denúncia 197

A delegada destacou ainda a participação da comunidade nas investigações desse crime, diante todas as dificuldades da apuração, local ermo e sem testemunhas.

 “Foi fundamental a participação da comunidade, confiando no sigilo e no trabalho da PJC, no sentido de fazer as denúncias de forma anônima pelo  197. Elas são checadas e trabalhamos essas informações, na maioria são procedentes e auxiliam o trabalho da Polícia. Continuem confiando no 197”, agradeceu.

 

Twitter



Edição 144 de Agosto de 2018

COLUNISTAS
Enquete

BLOGS MAX



© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.