PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sexta-Feira, 08 de Março de 2019, 09h:33
Tamanho do texto A - A+
POLÍTICA & PODER
OPERAÇÃO RÊMORA Twitter

Juiz marca para maio depoimentos sobre desvios na Seduc

Por: Redação

Reprodução

 

O juiz Jorge Luiz Tadeus, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, marcou para 10 de maio a audiência de instrução da ação penal fruto da operação Grão Vizir (terceira fase da Rêmora), que tem como réus o empresário Alan Malouf e o ex-secretário de Educação, Permínio Pinto.

 

Na decisão, do dia 1º de março, o magistrado explicou que a realização da audiência na data anterior, dia 21 de fevereiro, não foi possível em “face o não cumprimento das providências necessárias para a sua realização, tais como, intimação das testemunhas, réus e defesas”.

 

Essa é a terceira vez que audiência de instrução é remarcada pelo juízo da Sétima Vara Criminal. O procedimento tem como objetivo dar início ao processo de julgamento, como a convocação de testemunhas, produção de provas ou até tentativa de negociação entre as partes.

 

A operação Grão Vizir foi deflagrada em dezembro de 2016 pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Criminal), que resultou na prisão de Alan Maluf. A prisão foi decorrente da delação premiada firmada entre o empresário Giovani Guizardi e o Ministério Público do Estado (MPMT), onde Guizardi afirmou que Malouf teria doado R$ 10 milhões para a campanha de Pedro Taques (PSDB) ao governo em 2014 e tentado recuperar os valores por meio do esquema.

 

Já a primeira fase da Rêmora foi deflagrada em maio de 2016 e investigou irregularidades nos processos licitatórios para obras de reforma e construção de escolas públicas por meio da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) que somaram mais de R$ 56 milhões.

 

Além de Malouf e Permínio Pinto, também são réus Fabio Frigere, Wnader Luiz dos Reis e Giovani Belatto Guizard.A operação Grão Vizir foi deflagrada em dezembro de 2016 pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Criminal).

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 188 Julho de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados