PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019, 09h:27
Tamanho do texto A - A+
POLÍTICA & PODER
QUALIDADE DOS SERVIÇOS Twitter

Parlamentar questiona Aneel e Ager sobre energia elétrica em MT

Por: Redação

Assessoria

João Batista

 

Com objetivo de questionar o atendimento e a qualidade dos serviços oferecidos pela empresa concessionária Energisa-MT, distribuidora de energia elétrica para a população mato-grossense, o deputado estadual João Batista (Pros) apresentou, na Assembleia Legislativa, requerimento direcionado à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e à Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager-MT).

 

De acordo com o parlamentar, o questionário está fundamentado na insatisfação gerada pelos consumidores do estado. “Além de assinar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar possíveis irregularidades cometidas pela Energisa, também encaminhei este requerimento solicitando informações à Ager e à Aneel para esclarecimentos”, destacou João Batista.

 

Segundo consta na justificativa do requerimento, a população mato-grossense está insatisfeita com a qualidade dos serviços prestados e com o aumento abusivo das tarifas de energia.

 

“O aumento da tarifa no estado chegou a 36,17% acima da inflação. Além disso, quando há interrupção de energia, não há atendimento emergencial e aparelhos eletrodomésticos são danificados. Abaixo-assinados estão sendo feitos em municípios mato-grossenses e os registros de ocorrências no Procon colocam a Energisa como campeã das reclamações em Mato Grosso”, afirma trecho do documento.

 

O diretor-presidente da Energisa, Riberto Barbanera, que esteve presente na audiência pública, realizada na última terça-feira (15), na Assembleia Legislativa, para tratar dos assuntos pertinentes à concessionária, reconheceu que a Energisa falhou em não prestar os devidos esclarecimentos aos consumidores. “Talvez nós da Energisa tenhamos falhado em não levar esclarecimentos sobre nosso trabalho à população, à sociedade e à própria Assembleia Legislativa”, argumentou Barbanera.

 

Confira na íntegra algumas das perguntas incluídas no questionário encaminhado às agências Ager e Aneel:

 

1. Por quais razões as tarifas de energia elétrica no Estado de Mato Grosso, entre os Anos de 2014 a 2018, sofreram um reajuste de 65,70% (inflação no período de 29,59%), portanto 36,17% acima da inflação, passando seu lucro líquido nesse período de R$ 140,7 milhões de reais para R$ 426,9 milhões de reais.

 

2. Como se explica:  A rede de distribuição em 2014 era de 114.616 km passou em 2018 para 184.847 km, aumento de 70.231 km; Mercado de venda de energia elétrica de 7.941 GW em 2014 passou para 8.745,5 GW em 2018; Número de clientes em 2014 de 1.269,581 para em 2018 1.403,565; Ainda assim, o número de trabalhadores, próprios da Energisa – Empresa de Distribuição S/A e terceirizados ter diminuído de 3.800 para 3.218 nesse período.

 

3. Como a Ager/MT e Aneel pensam em resolver os gargalos acarretados por baixa de ordens de serviço sem o devido atendimento pela Energisa, maquiando os indicadores regulados pela Ager/MT e Aneel; fechamento de Agências Comerciais o que tem acarretado grandes filas no atendimento, redução de eletricistas para atendimentos emergenciais em todos os municípios.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 207 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados