Quarta-Feira, 11 de Outubro de 2017, 15h:43
Tamanho do texto A - A+
PRISÃO

Perri transfere 3 envolvidos do esquema de grampos

Por: Redação

Montagem/NotíciaMax

Rogers Jarbas e coronel Lesco transferido

Coronel Evandro Lesco e ex-secretário de Segurança Pública, Rogers Elizando Jarbas serão transferidos.

O desembargador Orlando Perri de Almeida determinou a transferência Rogres Elizando Jarbas, Evandro Lesco, ex-secretário da Casa Militar, e João Ricardo Soller, presos por razão do esquema ilegal de interceptações telefônicas ilegais no Estado. Eles estão presos desde o dia 27 do mês passado. 

Após ser flagrado numa farmácia fazendo compras e sacando dinheiro num caixa eletrônico,o ex-secretário da Casa Militar, coronel Evandro Lesco deixará o 3º Batalhão, e  será transferido para a sede da Rotam (Roda Ostensiva Tático Móvel) no bairro Dom Aquino, em Cuiabá.

Já o ex-secretário de Segurança Pública, Rogers Elizando Jarbas, sairá do Centro de Custódia de Cuiabá, e será levado à unidade da Polinter (Serviço de Polícia Interestadual).

O sargento João Ricardo Soller também será transferido e vai para a sede do 4º Batalhão da Polícia Militar, em Várzea Grande.

O desembargador afirmou que a transferência do ex-secretário é indispensável, visto que, Jarbas divide cela, no CCC, com o ex-secretário Paulo Taques, também preso por envolvimento nas escutas clandestinas. 

"A medida se patenteia indispensável para evitar que sejam mantidos juntos dois investigados detidos na mesma operação policial, facilitando, com isso, o contato entre eles, e, de consequência, a probabilidade de ajustarem suas versões ou de criarem álibis no intuito de prejudicar as investigações policiais", disse Perri.

 

 

Grampos Ilegais

O esquema de grampos ilegais foi deflagrada pelo Ministério Público Federal (MPF) em maio deste ano, pelo promotor de Justiça Mauro Zaque , ex-secretário de Estado de Segurança Pública.

Segundo Zaque, ele teria recebido uma denúncia anônima, com documentos, que provavam a prática ilegal. A denúncia foi levada ao conhecimento do governador Pedro Taques (PSDB) em setembro de 2015. 

Os grampos foram conhecidos na modalidade “barriga de aluguel”, quando números de telefones de cidadãos comuns, sem conexão com uma investigação, são inseridos em um pedido de quebra de sigilo telefônico à Justiça.

As vítimas dos grampos forram a deputada Janaina Riva (PMDB); o advogado José do Patrocínio; o desembargador aposentado José Ferreira Leite; os médicos Sergio Dezanetti, Luciano Florisbelo da Silva, Paullineli Fraga Martins, Helio Ferreira de Lima Junior e Hugo Miguel Viegas Coelho.

.

 




Edição 108 Outubro 2017

COLUNISTAS

BLOGS MAX



Enquete
© 2016 NOTÍCIA MAX - Todos os direitos reservados.