PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 15h:45
Tamanho do texto A - A+
POLÍTICA & PODER
CHAPADA DOS GUIMARÃES Twitter

Por 6 votos a 5, Thelma de Oliveira escapa de cassação

Por: Redação

 

Após mais de 9 horas de sessão na Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães, a prefeita de Chapada dos Guimarães Thelma de Oliveira (PSDB) escapou da cassação.  Foram seis votos contra cinco pela absolvição. Contudo, a legislação prevê que para cassação de mandato de prefeito são necessários 2/3 dos votos da Câmara, o que corresponde a 8 votos.

 

Com isso, as denúncias foram arquivadas. A sessão iniciada nessa quarta (13) chegou a ser suspensa no fim da noite, retomada na manhã de hoje (14) e finalizada somente nesta tarde.

 

No relatório, a vereadora Aline Muniz (PT) afirmava ter ficado comprovado que a prefeita cometeu irregularidades como atraso no envio de informações ao Tribunal de Constas do Estado (TCE), por meio do sistema Aplic, superfaturamento na compra de materiais, descumprimento de prazos para envio de peças orçamentárias e aquisição de material para jardinagem de forma irregular.

 

Em nota (confira a íntegra no final da matéria), a tucana afirmou que recebeu com naturalidade o resultado. “Thelma de Oliveira lamenta que disputas políticas visando as próximas eleições de 2020 tenham motivado as denúncias contra sua gestão, com o claro objetivo de prejudicar o município”, afirma documento.  

 

Confira como ficou a votação:

A favor da cassação

•Edmilson de Freitas Filho (MDB)

•Mariano Fidelis dos Santos Filho (PSC)

•Aline Muniz (PT)

•Rosa Cezaria da Silva Lisboa (PR)

•Carlos Eduardo de Lima Oliveira (PT)

•Thomas Jefferson Xavier Moreira (PSDB)

Contra a cassação

•Luciano Augusto Neves (PSDB)

•Michele Fátima da Costa Weber (PSDB)

•Joair Siqueira (MDB)

•Cacilda Benedita de Siqueira (PP)

•Manoel Maria Albenaz Neto (DEM

 

Veja a nota   

A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira, ressalta o seu total respeito à prerrogativa de fiscalização do Poder Legislativo e, ciente de sua conduta como gestora pública, recebeu com naturalidade a decisão dos vereadores municipais, que reprovaram o pedido de cassação proposto pela Comissão Processante.

 

Em relação às denúncias referentes a eventuais atrasos no envio de informações ao sistema Aplic, a chefe do executivo municipal afirmou que todas as informações obrigatórias foram prestadas, ainda que com atraso, garantindo tanto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) quanto à Câmara Municipal, a possibilidade de aferir a gestão administrativa e financeira do município, sem dolo à transparência dos dados. 

 

Em reação às denúncias de aquisições realizadas pela Secretaria Municipal de Turismo, a prefeita informou que já foi determinada em janeiro de 2019 uma tomada de contas especial para apurar possíveis irregularidades. 

 

Thelma de Oliveira lamenta que disputas políticas visando as próximas eleições de 2020 tenham motivado as denúncias contra sua gestão, com o claro objetivo de prejudicar o município. A prefeita enfatizou que, mesmo em um período delicado de crise econômica em todo o País, toda a equipe de secretários e servidores veem trabalhando de forma incansável para garantir melhor qualidade de vida para os cidadãos, com foco na prestação dos serviços essenciais de saúde, educação, saneamento básico e assistência social.

 

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 171 Março de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados